19 de maio de 2008

As imagens na Bíblia

Comumente os irmãos evangélicos acusam os católicos de idolatria, isso em razão dos católicos usarem em seu culto as imagens dos santos, anjos e da Virgem Maria. Para fazer tal acusação se fundamentam principalmente no segundo mandamento bíblico que diz “Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima nos céus, ou embaixo, sobre a terra” (Ex 20,2)
Para dar uma resposta a tal acusação é preciso primeiro dizer que, uma das regras para se interpretar um texto bíblico é considerá-lo a luz dos demais textos bíblicos que tratam do mesmo assunto. Não se pode pegar um único texto das Sagradas Escrituras e formar um juízo de valor ou até uma doutrina, sem levar em conta o conjunto dos demais livros sagrados.

Outra regra para bem interpretar a Bíblia e procurar saber o que é que o autor bíblico queria dizer ao povo daquela época, pois o que ele queria dizer ao povo daquele tempo é o que ele quer dizer ao povo de nosso tempo.

Então vamos aplicar essas regras ao texto do Êxodo 20,2. O que queria Deus proibir com esse mandamento? Queria proibir todo e qualquer tipo de imagens, ou apenas imagens de deuses para servirem para adoração? Se queria proibir todo e qualquer tipo de imagens por que ordenou a Moisés que fizesse dois querubins de ouro e colocasse em cima da Arca da Aliança? (Êxodo 25, 17-18). Outra coisa, porque o rei Salomão ao construir o templo de Jerusalém, colocou no fundo do santuário duas grandes imagens de anjos, além de decorar o templo com leões, bois e querubins? (veja: 1Rs 6,23-25; 7,29). E o que dizer de Moisés que mandou fazer uma serpente de bronze e colocou-a sobre uma haste para curar os israelitas? (Nm 21,8). Estaríamos diante de uma contradição bíblica? Não, a Bíblia na se contradiz. Como explicar isso então? Não é difícil, Deus proibiu somente a confecção de imagens de deuses para o culto de adoração e não outros tipos e imagens com outras finalidades religiosas. Portanto, não há confusão alguma. A confusão se dá quando se faz uma interpretação parcial de um trecho bíblico, tirando-o fora do seu contexto.

Mais, se Deus houvesse mesmo proibido qualquer tipo de imagens, porque no batismo de Jesus o próprio Espírito Santo se faria representar pela imagem de uma pomba? (Mt 3,16). Não podemos esquecer ainda que o Deus invisível se fez imagem na pessoa de Jesus de Nazaré. Jesus “é a imagem de Deus invisível” (Cl 1,l5), diz o apóstolo Paulo. Se ele se fez imagem porque não podemos fazer a sua imagem também?

Finalmente gostaria de lembrar ainda que os primeiros cristãos, que na sua grande maioria morreram martirizados pela fé, decoravam seus túmulos com figuras religiosas. Será que esses primitivos irmãos que conheceram os apóstolos caíram no pecado da idolatria? Com certeza não.
O que a bíblia condena é a confecção de imagens para serem adoradas como deuses, o que não é o caso das imagens existentes na Igreja Católica.

Diácono Geraldo Bueno da Silva
(enviado por fr. João)

Arquivo

Postagens populares

Comentários recentes

Seguidores

Google+ Followers

Viva Nossa Senhora!

Twitter

Follow charlieleitao on Twitter