31 de julho de 2007

Oração


A oração é um momento todo especial de total intimidade que temos com uma ou todas as pessoas da santíssima trindade. E esse momento e de suma importância para as nossas vidas, pois quando não oramos somos levados por pequenas tempestades que se formam em nosso interior que se não forem curadas podem virar um tremendo furacão.

A oração é o caminho que nos leva ao ponto de equilíbrio em Deus.
Quando nosso coração está longe de Deus tendemos a não orar, esse é o meio que encontramos de não nos revelar a Deus, inutilmente é claro, pois Ele sabe de tudo. E na sua infinita bondade está sempre disposto a nos perdoar e a nos amar quando vacilamos na fé, porque seu amor é incondicional.

Temos que reconhecer com humildade que nem tudo o que queremos, nem tudo o que desejamos e nem tudo que amamos nos ajuda a alcançar a salvação. Temos que peneirar!

Vamos construir nossas casas em terreno sólido, o terreno da oração e comunhão com Deus. Pois só assim teremos forças para prosseguir neste caminho tão íngreme das nossas vidas. Ele vai te dar muito mais do que podes imaginar, Pois Deus é justo e fiel. Não tenha dúvidas ,no final alcançará a vitória, ore, ore , ore.... Sem cessar, sem parar sem vacilar!

Que Deus te abençoe e te guarde.

Com Jesus tudo pode ser mudado pelo poder da oração.

A Amazônia que não conhecemos



Dia-a-Dia CNBB
Livro aborda "Amazônia que não conhecemos"
terça: 31 de julho de 2007

Frei Heitor Turrini, Servo de Maria, que se encontra há mais de 40 anos na Amazônia, especificamente, no Acre, esteve na CNBB, com o objetivo de dar encaminhamento à publicação do livro “ Amazônia que não conhecemos” de autoria de Miton Claro.

O frei reuniu-se com o responsável pelas Edições CNBB, Pe. Valdeir Goulart; com o secretário-executivo da Campanha da Fraternidade, Pe. Vanzella; o representante da Cáritas, Vitélio Pasa e a assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Amazônia, Ir. Cecília Tada.

O livro tem a apresentação do arcebispo de Salvador, Dom Geraldo Majella Agnelo, que diz: “ No ano em que a proposta da Campanha da Fraternidade é promover uma fraterna aproximação com nossos irmãos amazônidas, é com alegria que saúdo a publicação de um livro apresentando os problemas da floresta sob a densa ótica de seus próprios habitantes. São os heróis-indígenas, os heróis-seringueiros, os heróis-ribeirinhos, os heróis-colonos que exibem a Amazônia ferida, num silencioso pedido de socorro”.

O conteúdo do livro flui numa leitura fácil, motivando o leitor a empreender uma viagem por meio das crônicas inspiradas em relatos e depoimentos autênticos que o autor toma com a ajuda dos Servos de Maria – missionários que realizam uma obra admirável no Acre.

Aos 80 anos, frei Heitor ao relatar a situação das florestas do Acre, recorda as imagens da destruição e afirma: “é como se nós estivéssemos morrendo. Como tantos, lutarei até a morte para que a floresta continue viva, apesar do estrago irrecuperável nos últimos 40 anos”.

O livro será publicado pelas Edições CNBB e deverá ser lançado durante a reunião do Conselho Permanente, em outubro deste ano.

30 de julho de 2007

Esvaziar-se

"Ele tinha a condição divina, mas não se apegou a sua igualdade com Deus. Pelo contrário, esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de servo e tornando-se semelhante aos homens. Assim, apresentando-se como simples homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz!" (Filipenses 2, 6-8)

Quiséramos nós de modo tão feliz contemplar a Cristo da maneira que Paulo o fez através deste trecho de sua Carta aos Filipenses! Jesus, o Princípio e o Fim, o Lírio do Vale, tinha condição divina mas quis se igualar a cada um de nós para nos provar que quando nos esvaziamos aí é que somos preenchidos pela graça de Deus. Sendo Deus, fez-se servo e sofrendo humilhações tornou-se o mais obediente de todos os servos caminhando até a cruz.

É comum que no dia-a-dia nos sintamos como prisioneiros dentro de nós mesmos devido aos fardos que muitas vezes nos impõe a vida terrena, porém, é certeza que pela morte e ressurreição do Senhor Jesus, somos livres de todas as cadeias para a Seu exemplo servir e amar. Mas se Jesus, sendo Deus, escolheu esvaziar-se de tudo para assim agradar o coração do Pai, como nós que somos pecadores podemos nos encher daquilo que não nos faz crescer em graça e sabedoria diante do Senhor? Somos nós por acaso maiores que o Filho de Deus?

Precisamos nos esvaziar de tudo aquilo que acorrenta nosso espírito, pois se para o homem há limites, em Deus tudo é possível e todas as barreiras são vencidas, pois para Ele não precisamos encher o muro com massa ou reboco velho, tudo está as claras.

Portanto meus queridos irmãos, se a Cristo foi dada toda honra e toda glória, a nós, se cumprirmos a vontade de Deus e soubermos nos esvaziar para suportar todas as humilhações sendo obedientes, será dada a vida eterna, a grande promessa feita por Jesus através da Nova e Eterna Aliança.

"e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai." (Filipenses 2,11)

Toda honra e toda glória a Jesus!

E a vós amados irmãos, muita paz e amor em Cristo!



A Semana Nacional da Família

O Que é a Semana Nacional da Família?

A Semana Nacional da Família (SNF) é um momento forte no qual a Pastoral Familiar, em articulação com as demais pastorais, movimentos, serviços e a sociedade em geral, intensifica seus esforços no sentido de evangelizar a família na globalização de seus diversos aspectos e realidades.
A celebração da Semana Nacional da Família assumiu âmbito nacional nos últimos dez anos, sob a coordenação do Setor Família e Vida da CNBB.

Objetivos Gerais da Igreja:
Com essa prática, é mobilizar toda a sociedade brasileira, e de modo particular todo o mundo católico, no sentido de refletir, redescobrir e promover os verdadeiros valores humanos e cristãos da família:
- Como anunciar o Evangelho de Jesus Cristo e proporcionar o encontro pessoal e da família com Ele;
- Motivar cada pessoa para a valorização da vida e da família, e para o diálogo e a vivência dos valores evangélicos;
- Disponibilizar subsídios para a reflexão crítica, individual, familiar ou em grupo, sobre a realidade vivida pelas famílias a exemplo do Livro "Hora da Família", que este ano sai na sua 11ª edição como um incentivo evangelizador.
- Animar e aperfeiçoar as reuniões e celebrações da Semana Nacional da Família em cada família e em cada comunidade.

Objetivos Específicos da Igreja:
- Motivar cada pessoa para o aprendizado e exercício da espiritualidade e do diálogo em família;
- Motivar cada pessoa e cada família para o diálogo com Deus;
- Estabelecer a reflexão sobre a atual crise da verdade e sobre como resgatá-la;
- Refletir sobre o direito fundamental à vida, as violações deste direito e os desafios decorrentes;
- Promover a reflexão crítica sobre a cidadania, a fé e a política;
- Criticar a realidade do trabalho face à constituição de família e a dignidade humana;
- Avaliar a importância da ética nos meios de comunicação, para a família e para a formação de pessoas;
- Refletir sobre o aprisionamento gerado pela busca de poderes, e sobre o poder que libera. o amor, a amizade, a partilha, a solidariedade, a justiça e a comunhão entre os homens.

A Semana Nacional da Família fortalece, ainda, o processo de implantação e de abrangência da Pastoral Familiar, por causa do envolvimento motivador de toda Diocese e de todas as Paróquias.
Já se consolidando como tradição nas ações da Igreja, sendo também hoje uma realidade, a Semana Nacional da Família acontece oficialmente na semana que segue ao "Dia dos País", comemorando no segundo domingo de agosto, favorecendo num dinamismo orgânico o “Calendário Litúrgico” da Igreja, por ser o mês dedicado e voltado às vocações Sacerdotais e Religiosas. Neste ano 2007, será comemorado em âmbito nacional nos dias 12 a 18 de agosto, com o tema central: "Espiritualidade Familiar: Encontro Com Deus e Com o Próximo”, onde somos convidados a vivenciar o lema "Família, Fonte de Vida e Construtora da Paz", devendo a família assumir a sua verdadeira identidade cristã. Missionária, protagonista dos novos tempos"!
As temáticas e as ações a serem desenvolvidas nesta semana comungam com a Igreja as alegrias, preocupações e desafios atuais, entre eles: o Projeto Nacional de Evangelização "Queremos Ver Jesus - Caminho, Verdade e Vida"; a Campanha da Fraternidade de 2007: “Vida e Missão Neste Chão”, sentir a vida profética nas ações concreta orientada na Exortação Apostólica: "Familiaris Consortio", do saudoso Profeta da Família, Papa João Paulo II, o convite a adesão ao ser missionário através das Santas Missões Populares, abrangendo o grito da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, que trouxe o eixo temático “DICIPULOS E MISSIONARIOS DE JESUS CRISTO” para que n’Ele nossos povos tenham vida. “Eu sou o Caminho, a verdade e a Vida” (Jô 14,6), num protagonismo aderido pelo cristão convertido à Palavra de Deus.
O tema procurou estabelecer uma seqüência, partindo da espiritualidade familiar e encontro com Deus e com o próximo para o conhecimento da verdade (valor tão agredido em nossa sociedade e cultural). Do conhecimento e adesão à verdade decorrem: o respeito à vida, à dignidade da pessoa e à cidadania cristã; o exercício político responsável; o respeito à dignidade do trabalho humano e à ética. A espiritualidade familiar é a grande necessidade da célula mais importante no contexto mundial que é a família, conhecimento da verdade favorece também a apropriação do único poder que liberta, o poder de Deus.
Participe, lute, ore, vivencie na sua Paróquia, no seu lar, no seu trabalho e onde estiver este momento exclusivo e dedicado a família, Idéia e criação de Deus.

Edimilson e Selma Araújo
Coordenadores da Pastoral Familiar Diocesana
Diocese de Rio Branco

29 de julho de 2007

A oração do Pai Nosso

AS SETE PETIÇÕES

(segundo o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica)

587. Como é composta a oração do Senhor? 2803-2806; 2857

A oração do Senhor contém sete petições a Deus Pai. As primeiras três, mais teologais, aproximam-nos d’Ele, para a sua glória: pois é próprio do amor pensar antes de mais n’Aquele que amamos. Elas sugerem o que em especial devemos pedir-Lhe: a santificação do seu Nome, a vinda do seu Reino, a realização da sua Vontade. As últimas quatro apresentam ao Pai de misericórdia as nossas misérias e as nossas expectativas. Pedimos que nos alimente, nos perdoe, nos defenda nas tentações e nos livre do Maligno.

588. O que quer dizer «santificado seja o Vosso nome»? 2807-2812 2858

Santificar o Nome de Deus é, antes de mais, um louvor que reconhece Deus como Santo. De facto, Deus revelou o seu santo Nome a Moisés e quis que o seu povo lhe fosse consagrado como uma nação santa na qual Ele habita.

589. Como é santificado o Nome de Deus em nós e no mundo? 2813-2815

Santificar o Nome de Deus que nos chama «à santificação» (1 Tes 4,7) é desejar que a consagração baptismal vivifique toda a nossa vida. É pedir, além disso, com a nossa vida e a nossa oração, que o Nome de Deus seja conhecido e bendito por todos os homens.

590. Que pede a Igreja rezando: «Venha a nós o vosso Reino»? 2816-2821 2859

A Igreja pede a vinda final do Reino de Deus mediante o regresso de Cristo na glória. Mas a Igreja reza, também, para que o Reino de Deus cresça, já hoje, graças à santificação dos homens no Espírito e graças ao seu empenho ao serviço da justiça e da paz, segundo as Bem-aventuranças. Este pedido é o grito do Espírito e da Esposa: «Vem Senhor Jesus» (Ap 22,20).

591. Porque pedir: «Seja feita a Vossa vontade assim na terra como no céu»? 2822-2827 2860

A vontade do Pai é que «todos os homens sejam salvos» (1 Tim 2,3). Para isso é que Jesus veio: para realizar perfeitamente a Vontade salvífica do Pai. Nós pedimos a Deus Pai que una a nossa vontade à do seu Filho, a exemplo de Maria Santíssima e dos Santos. Pedimos que o seu desígnio de benevolência se realize plenamente na terra como no céu. É mediante a oração que podemos «discernir a vontade de Deus» (Rm 12,2) e obter a «perseverança para a cumprir» (Heb 10, 36).

592. Que significa o pedido: «O pão nosso de cada dia nos dai hoje»? 2828-2834 2861

Ao pedir a Deus, com o confiante abandono dos filhos, o alimento quotidiano necessário a todos para a subsistência, reconhecemos o quanto Deus nosso Pai é bom e está acima de toda a bondade. Pedimos também a graça de saber agir de modo que a justiça e a partilha façam com que a abundância de uns possa prover às necessidades dos outros.

593. Qual é o específico sentido cristão deste pedido? 2835-2837 2861

Porque «o homem não vive só de pão, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus» (Mt 4,4), este pedido refere-se igualmente à fome da Palavra de Deus e à do Corpo de Cristo recebido na Eucaristia, bem como à fome do Espírito Santo. Pedimo-Lo, com uma confiança absoluta, para hoje, o hoje de Deus, o qual nos é dado sobretudo na Eucaristia que antecipa o banquete do reino que há-de vir.

594. Porque dizer: «Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido»? 2838-2839 2862

Ao pedir a Deus Pai para nos perdoar, reconhecemo-nos pecadores diante d’Ele. E, ao mesmo tempo, confessamos a sua misericórdia, porque, no seu Filho e através dos sacramentos, «recebemos a redenção, o perdão dos pecados» (Col 1,14). Porém, o nosso pedido só será atendido se tivermos perdoado aos que nos ofenderam.

595. Como é que é possível o perdão? 2840-2845 2862

A misericórdia penetra no nosso coração só se também nós soubermos perdoar, até aos nossos inimigos. Ora, mesmo que ao homem pareça impossível satisfazer esta exigência, o coração que se oferece ao Espírito Santo pode, como Cristo, amar até ao extremo do amor, mudar a ferida em compaixão, transformar a ofensa em intercessão. O perdão participa da misericórdia divina e é um vértice da oração cristã.

596. O que significa: «Não nos deixeis cair em tentação»? 2846-2849 2863

Pedimos a Deus Pai que não nos deixe sozinhos e à mercê da tentação. Pedimos ao Espírito para sabermos discernir entre a provação que ajuda a crescer no bem e a tentação que conduz ao pecado e à morte, e, ainda, entre ser tentados e consentir na tentação. Esta petição coloca-nos em união com Jesus, que, com a sua oração, venceu a tentação e solicita a graça da vigilância e da perseverança final.

597. Porque concluímos pedindo: «Mas livra-nos do Mal»? 2850-2854 2864

O Mal indica a pessoa de Satanás que se opõe a Deus e que é «o sedutor de toda a terra» (Ap 12, 9). A vitória sobre o diabo já foi alcançada por Cristo. Mas nós pedimos para que a família humana seja libertada de Satanás e das suas obras. Pedimos também o dom precioso da paz e a graça da esperança perseverante da vinda de Cristo, que nos libertará definitivamente do Maligno.

598. O que significa o Ámen final? 2855 - 2856 2865

«Depois, acabada a oração, tu dizes: Ámen, corroborando com o Ámen, que significa “Assim seja, que isso se faça”, tudo o que está contido na «oração que Deus nos ensinou» (S. Cirilo de Jerusalém).

28 de julho de 2007

17° Domingo do Tempo Comum

29 de julho
+ Verde. 17o DOMINGO DO TEMPO COMUM
1a semana do Saltério.
Ofício dominical comum.
Missa pr: Gl, Cr, Pf dos domingos cms.

Leituras:
Gn 18, 20-32;
Sl 137 (138), 1-2a. 2bc-3. 6-7ab. 7c-8 (+ 3a);
Cl 2, 12-14
Lc 11, 1-13 (Oração perseverante)

27 de julho de 2007

Conto da Borboleta

Um dia, um homem, ao passar por um jardim, avistou um cena que nunca presenciara antes: uma borboleta saindo do seu casulo. Ficou admirando aquele momento. Entretanto, percebeu o pequeno animal tinha muita dificuldade para sair do pequeno buraco feito no casulo, e pensou que provavelmente, devido a diferença de tamanho, a borboleta não consegueria sair do casulo, e, asssim, morreria.

Então, o homem resolveu ajudá-la, pegou uma faquinha e fez uma abertura maior no casulo para a borboleta sair e voar. Porém, não foi o que ocorreu. No momento em que ela saiu, suas asas não incharam, e a borboleta não conseguia voar, apenas rastejava no solo com uma larva.

O que o homem não compreendeu foi que Deus fez com que aquele buraco fosse estreito a tal ponto que o esforço da borboleta ao sair fosse tão grande para fazer com o que suas asas fossem bombeadas por sangue e oxigênio, fazendo com que, assim, ela conseguisse voar, e se tornar o que era para ser: uma borboleta!

Há momentos em que Deus permite que dificuldades e problemas nos atinjam, muitas vezes de forma "espantosa" aos olhos humanos.

Mas o que temos que ter certeza é de Ele quer que seus filhos sejam fortes, criem asas e voem, como a borboleta, pois é na nossa fraqueza, na nossa dor, que a Sua Força, a Sua Misericórdia, o Seu Amor, nos consola, nos fortalece!!!

Deus nunca faz com que carreguemos uma cruz mais pesada do que podemos levar, e mesmo assim, Ele ainda nos ajuda a carregá-la, pois nos ama, com Amor Infinito!!

Confie em Deus sempre! Confie no Seu Amor! Confie na Sua Força! Tenha certeza que Ele nunca te abandona! Sempre está contigo!

Instituto Imaculada Conceição

Posted by Picasa

Rádio Católica Luz da Vida FM


Reflexão sobre o evangelho

Lc 11,1-13

No Evangelho de Lucas Jesus se apresenta como aquele que reza ao Pai, sobretudo nos momentos decisivos de sua vida. Um desses momentos (v. 1a) se insere na viagem do Mestre a Jerusalém (9,51-19,27), longo itinerário onde se forja o perfil do discípulo que caminha com ele.
Os discípulos sentem necessidade de uma oração que os caracterize: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou seus discípulos” (v. 1b). O fato marca, para os discípulos, a divisão entre o velho e o novo. Nasce assim, no Evangelho de Lucas, o “catecismo sobre a oração do cristão”.

O catecismo sobre a oração do cristão no Evangelho de Lucas consta de cinco elementos. Eles traduzem, para nós, o que é rezar. Os dois primeiros (v. 2) provocam à abertura para o Pai; os três últimos (vv. 3-4) conduzem à transformação das relações entre as pessoas.

• Santificado seja o teu nome (v. 2b). à (Melhor seria GLORIFICADO SEJA O VOSSO NOME...) Mais que um pedido, essa expressão revela o compromisso de quem entrou em comunhão com Deus. Encontramos aqui duas coisas importantes: a santidade e o nome de Deus, estreitamente relacionados entre si. A santidade de Deus se revela na presença do Reino atuante na pessoa de Jesus. Os cristãos já aprenderam que o novo nome de Deus é “Pai”. Santificar seu nome, portanto, é reconhecê-lo como aquele que age na humanidade. O mundo é sua família. As criaturas são seus filhos. Sua santidade não é o afastamento da nossa história, mas sua inserção em nossa caminhada.

• Venha o teu Reino (v. 2c). Também essa expressão fala do nosso compromisso com o Pai. O Reino de Deus – seu projeto – se tornou claro na vida e ações de Jesus. Pedir que o Reino venha significa, para os cristãos, abrir-se ao projeto de Deus... que é a busca da justiça, do amor, da paz, da fraternidade, da liberdade, da harmonia interior e exterior, etc...

• Dá-nos a cada dia o pão que precisamos (v. 3). A expressão “a cada dia” – própria de Lucas – fala da confiança incondicional dos cristãos no Pai, que destinou os bens do mundo para todos. Pedir a cada dia o pão que precisamos é, portanto, assumir a partilha como forma de realizar o Reino, traduzido na fraternidade: pão, terra, moradia, saúde, educação, vida para todos, até que a humanidade inteira reproduza o “paraíso” saído das mãos do Pai.

• Perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os que nos devem (v. 4a). Os cristãos partilham entre si o dom que Deus lhes fez: o perdão. Não traduzir nas relações humanas o perdão de Deus é tornar inútil e mentirosa a oração que Jesus nos ensinou. Não é possível rezar a Oração do Pai-nosso se não existir o perdão.

• E não nos deixes cair em tentação (v. 4b). A sociedade em que vivemos nos condiciona em torno do ter, do poder, da ambição, do prestígio e da idolatria (cf. as tentações de Jesus, Lc 4,1-13). Jesus, por sua vez, nos ensina a pedirmos ao Pai que não nos deixe cair nessas tentações que pervertem o projeto de uma sociedade cada vez mais justa e fraterna, onde todas as pessoas têm a mesma dignidade (= criados à imagem e semelhança de Deus – cf. Gênesis).

No mesmo texto de Lucas encontramos duas Parábolas que nos ajudam a completar a reflexão:
- A Primeira salienta a eficácia da Oração perseverante: O "Amigo inoportuno" é atendido: "Pedi e recebereis...” (Lc 11,9).
- A Segunda convida à Confiança em Deus: lembra o amor de pai para os filhos... "Se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem...” (Lc 11,13).

. Não basta rezar... mas devemos rezar como convém...
A Oração deve unificar a vida de um homem com Deus... Deve impregnar a vida de cada dia...
- Das orações comerciais: "dou, se me deres”?
- Dos decepcionados, quando não são atendidos?

. O Valor da Oração não está medido em condições.... Mas sim no espírito de FÉ e AMOR com que a fazemos...

REZAR: É um diálogo familiar com Deus, que brota de um ato de fé e de um ato de amor e que nos leva a entrar no Plano de Deus: "Seja feita a vossa vontade..."
REZAR: Não é apenas orar com os lábios, mas também com a inteligência, com o coração e com toda a nossa vida...

Estamos reunidos, porque acreditamos na Oração...
- Ela está marcando de fato a nossa vida, de modo a impressionar também os que aqui não vem, percebendo em nós a alegria de alguém se encontrou com Deus na oração?
- Seria importante perceber o valor das “comunidades orantes”, não só servem para afastar o mal e atrair a misericórdia divina – o que já é altamente benéfico para toda a terra – mas contribui também para aumentar o “vigor da alma e fazer viver” (Salmo 138/137) os enfraquecidos e amedrontados pela violência e pela força do mal. As “comunidades orantes” produzem confiança e a certeza de que Deus atenderá as súplicas, até mesmo quando as súplicas forem feitas nas horas mais inoportunas.

Se ainda não o conseguimos... Façamos nossa, a oração dos apóstolos: "Senhor, ensina-nos a rezar..."

frei João Carlos

Senhor, ensina-nos a rezar

PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA
17º Domingo do Tempo Comum

Na 1ª leitura, Abraão suplica a Deus com insistência pelos justos de Sodoma e Gomorra e o próprio Senhor diz que ouviu o clamor do povo e que, pelos justos, terá compaixão dos pecadores. No Evangelho, a pedido dos discípulos, Cristo nos deixa o caminho da oração que nos conduz ao Pai. Ele nos diz que devemos pedir para receber. E assim nos ensina a oração do Pai Nosso, que começa bendizendo o nome de Deus, como uma profissão de fé, declarando que seu nome é Santo. Ele está acima de tudo o que existe no céu e na terra e sua vontade deve ser realizada onde quer que seja. Pedimos o pão de cada dia, mas antes pedimos ao Pai que o seu Reino esteja junto de nós. Precisamos libertar-nos de nossas faltas, por isso devemos pedir o perdão do Pai. Jesus nos diz que Ele nos perdoará, mas que será na mesma medida em que nós soubermos perdoar. Não adianta somente receber o perdão, mas é preciso saber ofertá-lo também. Por fim, pedimos que o Pai nos livre de todos os males. Hoje devemos nos perguntar seriamente: como estamos rezando? O que estamos rezando? A quem estamos rezando? Ao rezar nossa vida, dizendo a Deus nossos problemas, dificuldades e alegrias, vamos nos abrindo ao projeto do Pai. Se pedirmos ao Senhor a luz de seu santo Espírito e abrirmos o nosso coração a Ele, poderemos viver cada vez mais próximos de sua Palavra, crescendo no plano que o Senhor tem para nós, aproximando-nos de sua misericórdia, contando com sua fortaleza e sua graça no nosso dia-a-dia. Precisamos saber esperar confiantes, perseverantes até o fim.

www.catolicos.com.br

26 de julho de 2007

Mãe do Perpétuo Socorro

Num tempo de sofrimento e amarguras, não sabendo onde me refugiar, temendo ser enganado pelo Demônio, lembrei-me de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, e coloquei-me em suas mãos, como filho seu, propriedade sua, suplicando-lhe... a Ela, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro... Eu lhe pedia que me carregasse, assim como carregou o Senhor em seus braços, quando o Senhor era criança, e que fizesse de mim, não o que eu desejasse, mas o que Ela desejasse de mim e para mim, para a maior glória de Seu Filho, segundo a Sua vontade, pois Ela, Maria, a Santa Mãe de Deus, é quem sabe ler o coração d´Aquele que foi gerado por Ela. Desde então, eu me considero inteiramente vosso, ó Mãe do Perpétuo Socorro.

Charles de Foucauld

Homenagem aos avós

Com Amor - Homenagem aos avós

23 de julho de 2007

Nossa vida é um breve segundo!

Nossa vida é um breve segundo!
Só temos o hoje para adorar a Deus e fazer Sua vontade! Somos um sopro de vida que Deus soprou em seu infinito amor!
Por isso, vivamos cada segundo diante do Senhor, para que sejamos Dele e ao final possamos encontrá-Lo.
Hoje vos peço que rezem pela família da jovem ROSE que faleceu no final da tarde num fatídico acidente na Estrada do Calafate! Que o Senhor da Vida a receba na morada eterna e derrame sobre os pais, a irmã e o esposo suas bençãos de amor e conforto.
Jesus, Filho de Davi, tende piedade de nós!

Novidades na evangelização

Quero desejar a todos uma ótima semana na presença de Deus.

Nessa segunda-feira, quero através do Blog fazer a divulgação do projeto nacional da RCC para as famílias que teve início na segunda-feira passada aqui no nosso Estado. Inicialmente o projeto trás uma novidade que é a noite de oração denominada “Pais orando pelos Filhos”, duas horas de oração e súplica dos pais pelos filhos, particularmente foi um momento sensacional ver tantos pais reunidos pelos seus filhos. A oração é a mais simples possível, louvor e um terço mariano, onde para cada mistério contemplado, os jovens são lembrado.

Também no domingo teve início uma forma de evangelização inusitada, Canto e Violão, levado a bom termo pelos jovens dos diversos ministérios de música da nossa Diocese, a apresentação tem local na praça dos Tocos em frente a Catedral Nossa Senhora de Nazaré. Durante as duas horas de boa música católica os presentes ficam cientes dos vários momentos da nossa diocese e são levados a um encontro com Deus.

Evangelização com renovado ardor missionário!

22 de julho de 2007

Todo dia existe Deus

Um dia me perguntaram
Se em Deus eu acreditava
Eu então lhes respondi
Da maneira que eu pensava.
Entre a lua e as estrelas
Num galope, num tropel,
Pisando nas nuvens brancas
Eu vi Deus passar no Céu.

Todo dia existe Deus....
Num sorriso de criança
No canto dos passarinhos
Num olhar, numa esperança...

Todo dia existe Deus
Na harmonia das cores
Na natureza esquecida
Na fresca aragem da brisa
Na própria essência da vida.

Todo dia existe Deus...
No regato cristalino
Pequeno servo do mar
Nas ondas lavando as praias
Na clara luz do luar...

Todo dia existe Deus
Na escuridão do infinito
Todo ponteado de estrelas
Na amplidão do universo
No simples prazer de vê-las
Nos segredos desta vida
No germinar da semente.

Todo dia existe Deus...
Nos movimentos da Terra
Que gira incessantemente.

Todo dia existe Deus
No orvalho sobre a relva
Na passarela que encanta
No cheiro que vem da terra
E no sol que se levanta.

Todo dia existe Deus...
Nas flores que desabrocham
Perfumando a atmosfera
Nas folhas novas que brotam
Anunciando a primavera.

Deus é capaz e é paz
Deus é esperança
É o alento do aflito
É o criador do Universo
Da luz, do ar, da aliança
Deus é a justiça perfeita
Que emana do coração
Ao perdoar quem o ofende
Ele é o próprio perdão.

Será que você não viu
O rosto calmo de Deus?
No colorido mais belo
Dos olhos dos filhos seus...

Eu sei que não me enganei
Em tudo que lhes dizia
Deus é paz, é amor
Deus é a eterna poesia
Deus é constante e perene
É divino, de tal sorte
Que sendo a essência da vida
É o descanso na morte.

Não há vida sem volta
E não há volta sem vida
A morte não é a morte
É só a porta da vida
No ciclo da natureza
Neste ir e vir constante
No broto que se renova
Na vida que segue adiante
Em quem semeia bondade
Em quem ajuda o irmão
Colhendo felicidade
Cumprindo a sua missão.

Todo dia existe Deus...
No suor de quem trabalha
No calo duro das mãos
No homem que planta o trigo
No trigo que faz o pão
Você pode sentir Deus
Pulsar no seu coração.....
E todo dia Deus esteja ao seu lado....

( Dias Gomes )

Links para TVs

Olá irmãos e irmãs,
agora no blog você encontra links para a TV Nazaré, TV Aparecida e TV Canção Nova.
A cada dia vamos disponibilizando mais e mais novidades para você que visita o nosso blog.
Na enquete que fizemos, 100% dos que responderam disseram ter conhecido o blog por indicação de amigos. Então não demore em indicar o blog aos seus amigos.
A paz e a bênção de Deus!

Vida nova, toda nova no Senhor!


Houve um festa de casamento em Caná da Galiléia, e Jesus foi até lá com sua Mãe para juntos participarem de tal felicidade com os noivos, seus parentes e amigos, todos alí unidos através do amor de Deus derramado sobre a nova família que nascia.


O vinho, elemento essencial naquela festa, acabou antes do previsto, talvez por falta de visão daqueles que organizaram o evento e não providenciaram a quantidade adequada, ou talvez pelo simples fato de ser consumido com mais rapidez do que de costume nas festas da região. Isso agora não importa!


Mas o fato é que naquele momento, quando faltou o vinho, Jesus e sua Mãe estavam lá, e Maria conhecedora que era do coração que Seu Filho tinha no peito foi logo ao seu encontro e disse as palavras que iriam para sempre mudar a vida de todos nós: "Eles não têm mais vinho!". E o milagre aconteceu! E a água foi transformada em vinho pra todos! O melhor vinho que aquelas pessoas já haviam bebido em suas vidas! O vinho novo! O vinho que só Jesus pode nos oferecer!


Hoje, é até nós que Jesus e Maria vêm! Algumas vezes nossos vasos estão secos, ou ainda, cheios de vinho velho e rançoso, e por isso falta alegria em nossas vidas! Isso agora não importa!


Pois quando isso acontece meus irmãos, é a própria Virgem Maria que intercede por nós junto a Seu Filho Jesus, que nos salva, redime os pecados e nos transforma em vasos cheios, completos de vinho novo!


Portanto, não importa se esquecemos de abastecer os vasos com vinho, não importa se as vezes temos que usar mais vinho do que esperamos, não importa! Pois Jesus está sempre presente em nossas vidas como esteve naquele casamento, e estará sempre disponível a realizar o milagre necessário para que sejamos felizes e para que vivamos nossa missão com ardor, renovando em nós a alegria que só Ele é capaz de oferecer.


Hoje é tempo de não se preocupar com as aflições que o mundo quer nos impor, pois se pertencemos a Cristo meus irmãos, Ele vem em nosso auxílio para provar que Seu amor é sem fim, e que a cruz é a grande prova! Basta que, como Maria Santíssima, acreditemos que Jesus ouve o que falamos e percebe a necessidade que temos, porém, não esqueçamos que também é necessário ouvir e entender o que Jesus nos responde!


Desejo a vocês meus queridos irmãos a Paz do Senhor! E que a Virgem Maria, assim como nas Bodas de Caná, interceda por cada um de nós e por tudo aquilo que Deus nos reserva!

Somos assim

Como podemos ser tão ousados e tão covardes?
Como podemos ser tão fortes e ao mesmo tempo tão frágeis?
Somos assim:
Humanos e imperfeitos, mas acima de tudo filhos amados de Deus. Que usa daquilo que temos mesmo sendo pouco para agir na vida das pessoas. Deus nos faz instrumento de evangelização mesmo quando nos sentimos fracos e abatidos.
Não podemos de forma alguma esperar chegar à perfeição ou mesmo adquirir um nível elevado de conhecimento para podermos começar a anunciar a boa nova do Senhor. Pois o seu povo está sedento!
Esse é o momento propicio para a graça do Senhor. Por isso não se apegue ao seu pecado, ao seu medo, a sua falta de instrução para justificar a sua ausência no anuncio da boa nova do Senhor.
Seja audacioso e ponha o pé na estrada,
E se por acaso se decepcionar mude a direção, mas continue sempre no mesmo caminho: o caminho da salvação.
Deus está contigo e te dará a força necessária para seres um soldado valente nesta luta por vidas!
Afinal de contas a linguagem de Deus é o AMOR!
E essa linguagem é universal e sempre existira!
Ame , Ame , Ame .
Ame a todos sem distinção de cor, raça, idade, classe , ideologia. Pois Deus não faz distinção!
Ele Simplesmente nos ama de maneira particular mas com a mesma intensidade!
Fiquem na Paz do Senhor Jesus!
E que são Miguel seja sua inspiração no combate!

21 de julho de 2007

16º Domingo do Tempo Comum

22 de julho
+ Verde. 16º DOMINGO DO TEMPO COMUM
4ª semana do Saltério.
Ofício dominical comum.
Missa pr: Gl, Cr, Pf dos domingos cms.

Leituras:
Gn 18, 1-10a ;
Sl 14 (15), 2-3ab. 3cd-4ab. 5 (+ 1a);
Cl 1, 24-28
Lc 10, 38-42 (Marta e Maria)

Felicidade


Vivemos uma busca incessante por uma tal felicidade que muitas vezes está a nossa frente e não conseguimos enxergar por estarmos cegos pelas varias regras ditadas por uma sociedade extremamente materialista e sem princípios éticos e morais.

Às vezes ficamos tão voltados para esses conceitos que sequer conseguimos nos encontrar e muito menos nos conhecer, pois constantemente queremos encaixar-nos em modelos perfeitos apresentados pela mídia como uma coisa boa e satisfatória.
Mas o que acontece irmão e irmã é que esse mundo mostrado todos os dias é um mundo de ilusões!

Um mundo cheio de faz de contas que jamais poderá nos completar!
Pois nós somos únicos e exclusivos, o meu estilo de vida não poderia servir de base para todos os seres vivos do planeta, pois não existe ninguém igual a mim, assim como também não existe ninguém igual a você.

Felicidade é você conseguir encontrar a satisfação naquilo que você é como pessoa.
A verdadeira felicidade pode ser presenciada quando você chega para visitar uma pessoa de idade, que está doente (e você já vai pensando no caminho o que vai falar naquele clima tão triste) e ao entrar nesta casa não consegue ficar triste mesmo sabendo que a pessoa está com dificuldade porque ela é mais feliz da casa. Esse sentimento é inexplicável!

Mas acreditem, é possível!

O que estou querendo dizer é que devemos trabalhar da melhor forma e com todo amor as coisas e pessoas que temos ao nosso redor para que estas sejam perfeitas para nossas vidas. Temos que lutar, pois nada vem pronto como nós queremos!
Se você quer uma família unida, seja o primeiro a se unir.
Se você quer ter filhos felizes, bem sucedidos seja o primeiro (a) a amar.
Se você quer ter um marido perfeito, seja você uma esposa perfeita.
Se você quer ser amado (a) doe-se primeiro.
Se você quer simplesmente ter sucesso aceite-se com suas capacidades e limitações.

Pois tudo que precisamos nos é ofertado por Deus e Ele de maneira sábia colocou tudo isso dentro de cada um de nós, só precisamos deixar de procurar toda essa felicidade fora de nós, pois o seu habitat natural é o ser humano. Essa tão sonhada felicidade está aí dentro de você!

Procure e a encontrará... Mas se diante de tudo isso você ainda estiver sentindo-se vítima... Experimente ir visitar uma pessoa que esteja em uma situação pior que a sua, e verás quantos motivos tens para louvar a Deus!

Alegre-se sorria!

Como um amigo sempre me diz:
“Amanhã é um novo dia!”
Aproveite para ser FELIZ!
Que Deus te abençoe!!!!

20 de julho de 2007

Semeie sempre

No campo da vida, tu és um semeador!
Não podes fugir à responsabilidade de semear!
Não digas que o solo é árido, que não chove o suficiente,
que o sol queima ou que a semente não é da melhor qualidade!
Não é tua missão julgar a terra, o tempo e a semente; a tua missão é semear!
A semente é abundante.
Um sorriso amigo, um pensamento positivo, um olhar de alento, uma palavra suave, um gesto de compreensão...
são sementes que germinam facilmente.
Não semeies descuidadosamente como quem cumpre
uma missão superficial ou forçada!
Semeia com entusiasmo, atenção, alegria e amor,
como quem encontrou nisso motivo de felicidade!
Ao semear, não penses quanto receberás em troca
ou quanto demorará a colheita!
Recorda que não semeias para te envaidecer
nem para receber elogios e agradecimentos!
Tu semeias porque não podes estar ocioso;
porque não podes omitir-te na missão;
porque não podes viver sem dar e doar-te;
porque não podes servir a Deus sem servir aos que nos rodeiam,
necessitados de amor.
Tua semente não poderá cair no vazio ou deixar de ser semeada!
Sem esperar recompensas, tu a receberás; sem esperar riquezas,
enriquecerás; sem contar com a colheita, tudo se multiplicará.
E isso, porque tu semeias num Reino onde dar é receber;
onde perder a vida é encontrá-la, onde gastar a vida é aumentá-la.
Semeia, semeia sempre!
Semeia em todo terreno, em todo tempo, em todo lugar!
Semeia a boa semente, oportuna e inoportunamente!
Semeia com fé, alegria e esperança, como quem semeia o próprio coração!
Ir. Wilson Backes


O que você quer colher? Tempestades? Ou amor, paz, respeito, carinho, êxito, prosperidade? Então plante isso com palavras, gestos e pensamentos.
Tudo o que você quiser que os outros lhe façam, faça você primeiro, pois tudo aquilo que o homem semear, isso mesmo é o que ele colherá.O fruto é resultado da semente. Cuidado com o que você está semeando! Boa colheita!

A amizade

A amizade torna os fardos mais leves
porque os divide pelo meio.
A amizade esvazia o sofrimento
porque a simples lembrança do amigo
acalma com jeito de talco na ferida.
A amizade diminui distâncias.
Embora longe, o amigo é alguém perto de nós.
A amizade é a doce canção da vida
e a poesia da eternidade.
O amigo é a outra metade da gente; o lado claro e melhor.
Sempre que encontramos um amigo,
encontramos um pouco mais de nós mesmos.
O amigo revê, desvenda, conforta.
É uma porta sempre aberta em qualquer situação.
O amigo, na hora certa, é sol ao meio-dia,
estrela na escuridão.
O amigo é bússola e rota no oceano,
porto seguro na tribulação.
O amigo é o milagre do calor humano
que Deus opera num coração.

Amigo aprendiz

19 de julho de 2007

Peregrinos do amor

Pra que serve nossa vida? Pra que servem as lágrimas que derramamos? Pra onde caminhamos afinal? Se não fosse pelo amor que nos conduz, nada estaria justificado em nós e de nada valeria nossa frágil existência.
Muitas vezes, somos nós mesmos os gladiadores de nossa própria vida. Destruímos, matamos, diminuímos... montamos uma arena e deixamos a luta correr, sem saber que nossa luta não é essa, mas justamente o contrário. Nossa luta é contra tudo aquilo que mata ou aprisiona o espírito que nos liga ao coração do Pai. Não convém a nós buscar coisa alguma que não sirva para apontar o caminho do céu aos irmãos que ainda sofrem o abandono epiritual, pois fomos escolhidos por Deus para viver tal missão de apontar o caminho. Não convém a nós buscar nada que nos afaste dos planos que Deus tem traçado para nossa vida.
Eu estava ouvindo uma música agora que fala sobre o Papa João Paulo II, nosso irmão fr. Charlie colocou esta música no blog e você pode ouvir se quiser, a música diz que o Papa foi um peregrino do amor, lutou pela paz entre os povos, buscou os jovens com ardor. Seria João Paulo II um filho predileto do Pai? Certamente sim, porém, posso garantir meus irmãos que também nós o somos.
Basta! Não podemos mais ficar olhando a vida escorrer por entre nossos dedos como se nada pudéssemos fazer, não podemos mais nos comportar como aquelas estatuetas de jardim que só servem de enfeite dentro das comunidades, sentados no banco de sempre como se aquilo fosse tudo!
Somos filhos prediletos de Deus, e como tal precisamos viver!
Há tanto a fazer! Tantos pra ajudar! Tantos cegos, surdos, mudos, aprisionados por falta daquela palavra que escondemos dentro de nós, por falta daquele amor que não queremos semear.
Se Deus é por nós meus irmãos, ninguém será contra nós! Deus conhece cada necessidade que há em você e em mim, por isso, não é necessário temer a fraqueza que há dentro de nós, pois sob a ação do Espírito Santos somos absolutamente capazes de realizar a vontade de Deus em nossas vidas e na vida dos irmãos, porém, não podemos mais agir como medrosos!
É chegada a hora de ser feliz! É chegada a hora de fazer a vontade do Pai, assim como nos pede Nosso Senhor Jesus Cristo!
A Paz do Senhor, é o que desejo a vós, peregrinos do amor!

Poesia a Nossa Senhora

Nos primeiros instantes de minha vida,
a Senhora me tomou em seus braços;
depois deste dia, Mãe querida,
a senhora me protege aqui embaixo.

Para conservar a minha inocência.
a Senhora me colocou em doce ninho,
a Senhora protegeu a minha infância
na sombra de um claustro bendito.

Mais tarde, ao tempo da minha juventude,
de Jesus ouvi o chamado, ouvi o apelo!...
Em sua inefável ternura,
a Senhora me mostrou o Carmelo.

"Vem, minha criança, sê generosa",
dizia-me a Senhora, com doçura;
"Perto de mim serás feliz,
vem imolar-te pelo teu Salvador."


Santa Teresa de Lisieux, do Menino Jesus e da Sagrada Face
Poesias CERF-DDB

18 de julho de 2007

Reflexão sobre o evangelho

O Evangelho deste domingo nos convida a meditar sobre duas mulheres amigas de Jesus: Marta e Maria. Marta sempre preocupada com os seus afazeres e Maria ficou com aos pés do Mestre. Disse Jesus: “Maria escolheu a melhor parte... (Lc 39,42)”.

Quando Deus entra na casa ou na vida de alguém, o acolhimento poderá ser feito de duas maneiras: pela prontidão em servi-lo, como fez Abraão, na sombra do carvalho de Mambré (Gn 18,3-5) e Marta, no aconchego de sua casa, e Maria, que se sentou aos pés de Jesus para ouvi-lo. Esse segundo momento é caracterizado pela quietude interior para que a Palavra divina possa ressoar no coração. Jesus define a escolha de Maria como a melhor parte da acolhida dedicada a Deus (Lc 10, 42). Não permitir que o coração barulhe com preocupações, com ativismos, mas seja pacificado e encha-se de paz pelas Palavras que o Mestre deposita no interior de quem o ouve; esta é a melhor parte (Evangelho).

No caso de MARTA, as suas preocupações eram muitas, pois queria deixar a casa arrumada e acolher bem o seu amigo Jesus. MARIA, pelo contrário, SENTA-SE aos pés do Mestre (posição típica de um discípulo diante do seu Mestre) e acolhe a Palavra de Jesus em seu CORAÇÃO...
Na tradição antiga e espiritual estas duas mulheres, Marta e Maria, simbolizam uma vida cristã ativa (Marta) e uma vida cristã contemplativa (Maria). Ainda hoje estas imagens estão gravadas nas nossas mentes e nos nossos corações. No Evangelho de Lucas, contudo, quando descreve Maria sentada aos pés de Jesus, ele representa a atitude dos antigos discípulos que se sentavam aos pés do Mestre para aprender deles a sabedoria existencial; a sabedoria da vida. Certamente a atitude de Marta representa a atitude dos discípulos que estão na atividade missionária e com a preocupação de anunciar e proclamar o Reino de Deus.

A questão de fundo, para Lucas, não está em contrapor “contemplação x ação”, porque ambos fazem parte da vida cristã, mas aquilo que deve ser prioridade para o discípulo; aquilo que deve ser a coisa mais importante para o discípulo – a melhor parte, no dizer de Jesus –, ou seja, acolher o Mestre sentar-se aos seus pés e silenciar para ouvir a sabedoria divina. Ter tempo para ouvir o Mestre é mais útil que se afanar em trabalhos.

Talvez seria importante perguntar: QUEM SERIAM AS “MARTAS E MARIAS” de hoje?
- Na Vida Prática: Você valoriza mais as pessoas, ou as coisas, os trabalhos, a casa, os negócios?
- Na Família...
> Você, Esposa, costuma acolher com carinho, com atenção e com sorriso o seu esposo que chega cansado do trabalho ou o seu filho que retorna da escola?
> Você, Marido, mesmo cansado, escuta com interesse, sua esposa que deseja lhe contar como foi o dia?
> E você, filho/a, sabe dar a devida atenção a seus pais, que trabalham o dia todo por você?
- Na Comunidade...Você encontra tempo para "sentar aos pés de Jesus e escutar a sua palavra"? Ou apenas se satisfaz em "fazer coisas"? Fato decisivo para ser "Discípulo" de Cristo, é estar disposto a escutar a sua Palavra...
- Na Sociedade... Você tem tempo para parar e escutar os que chegam até você, reconhecendo neles a voz de Cristo (ou a visita de Deus)? Ou apenas se contenta em oferecer "coisas"?
- Na Ação Pastoral... como servimos a Deus?

O Evangelho nos mostra dois modos: como Marta... e como Maria... Damos o devido tempo entre Ação e Contemplação, Trabalho e Oração...

Aprofundando o encontro de Marta e Maria com Jesus se pode ver que estas duas mulheres simbolizam uma maneira de se encontrar com o Mestre. Estas duas mulheres são importantes para a nossa vida, mesmo que a tradição espiritual da Igreja colocou que Marta simboliza dimensão ativa da vida e Maria simboliza a dimensão contemplativa. Estas duas dimensões são importantes. A pessoa da Marta é aquela que luta para que as coisas aconteçam (trabalhos, missão, afazeres, etc...). Mas para que toda missão/trabalho/atividade pastoral/ vida familiar... aconteça, é preciso a atitude de Maria (ficar aos pés do Mestre). Sem o espírito da atitude de Maria nada acontece. Por isso que Maria e Maria são importantes na vida de cada cristão e cristã e na vida da Igreja.


Texto enviado por frei João Carlos

CNBB e acidente TAM

NOTA DE SOLIDARIEDADE PELAS VÍTIMAS DO ACIDENTE AÉREO
quarta: 18 de julho de 2007

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) acompanha com profunda consternação a notícia do trágico acidente com a aeronave da TAM na noite do dia 17 de julho, em São Paulo.
A CNBB se solidariza com os familiares, parentes, amigos e colegas das vítimas que estavam na aeronave ou em solo, bem como com a Direção da empresa aérea. Estamos juntos na dor das pessoas atingidas e as colocamos em nossas orações, para que seus corações sejam confortados.
Pelos que morreram, rezamos: “Ó Deus, choramos a morte trágica de nossos irmãos. Mostrai-nos a força da vossa bondade e consolai-nos pela certeza de que eles foram acolhidos na paz eterna. Amém!”

Brasília, 17 de julho de 2007



Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro
Secretário-Geral da CNBB

Amar como Jesus amou

Amar Como Jesus Amou - Pe. Zezinho, scj

Um dia uma criança me parou
Olhou-me nos meus olhos a sorrir
Caneta e papel na sua mão
Tarefa escolar para cumprir
E perguntou no meio de um sorriso
O que é preciso para ser feliz?

Amar como Jesus amou
Sonhar como Jesus sonhou
Pensar como Jesus pensou
Viver como Jesus viveu
Sentir o que Jesus sentia
Sorrir como Jesus sorria
E ao chegar ao fim do dia
Eu sei que dormiria muito mais feliz

Ouvindo o que eu falei ela me olhou
E disse que era lindo o que eu falei
Pediu que eu repetisse, por favor
Mas não dissesse tudo de uma vez
E perguntou de novo num sorriso
O que é preciso para ser feliz?

Amar como Jesus amou
Sonhar como Jesus sonhou
Pensar como Jesus pensou
Viver como Jesus viveu
Sentir o que Jesus sentia
Sorrir como Jesus sorria
E ao chegar ao fim do dia
Eu sei que dormiria muito mais feliz

Depois que eu terminei de repetir
Seus olhos não saíram do papel
Toquei no seu rostinho e a sorrir
Pedi que ao transmitir fosse fiel
E ela deu-me um beijo demorado
E ao meu lado foi dizendo assim

Amar como Jesus amou
Sonhar como Jesus sonhou
Pensar como Jesus pensou
Viver como Jesus viveu
Sentir o que Jesus sentia
Sorrir como Jesus sorria
E ao chegar ao fim do dia
Eu sei que dormiria muito mais feliz

Eis a missão do cristão! Amar, sonhar, pensar, viver, sentir e sorrir como Jesus o fez!Que sejamos como a criança descrita na canção e saimos pelo mundo a cantar! A paz do Senhor! E que a Virgem Mãe nos proteja!

Da dor à alegria

São nesses momentos de dor e pesar que os conceitos cristãos são colocados à prova. Muitos questionamentos vêem a mente dos que padecem da dor de ver um ente querido falecer por conta de um acidente como esse do avião da TAM.

Porque comigo? O que fiz pra merecer isso?

Diante desses questionamentos muitas palavras podem ser mal interpretadas.
Os sentimentos vagueiam do consolo para o desespero, da aceitação para o repudio, somos levados a por a culpa em alguém, nesses casos normalmente é Deus . O Frei Anselmo Grün fala muito bem disso no seu livro sobre o sofrimento.

Mas Aquele que é alvo da nossa raiva também é a solução da nossa Dor. Podemos ter um experiência fenomenal de Deus nesses momentos, para isso, se faz necessário ver como Jesus sofreu e transformou seu sofrimento em alegria. O sofrimento não tomou conta de todo o ser de Jesus, não por conta de uma graça especial, mas pela firme vontade de fazer a vontade de seu Pai.

Ao nos aproximarmos os nossos sofrimentos dos sofrimentos de Jesus, somos por ele confortados, “não temas eu venci o mundo”. Jesus sabe o que é ser abandonado, ser golpeado, sabe a dor da perda, da desilusão. Jesus não quer falar sobre a nossa dor, porque sabe que palavras na nos confortarão, Jesus cura os doentes no sábado, libertas os oprimidos e devolve a visão aos cegos. Tudo para a glória e honra de Deus Pai-Nosso.

Vamos rezar pelas vítimas! E pelos familiares para que possam nesse momento de dor “ressuscitar” de seus lutos na alegria da Ressurreição de Jesus Nosso Senhor.

15 de julho de 2007

A arte de calar

Calar sobre sua própria pessoa é humildade
Calar sobre os defeitos dos outros é caridade
Calar quando a gente está sofrendo é heroísmo
Calar diante do sofrimento alheio é covardia
Calar diante da injustiça é fraqueza
Calar quando o outro está falando é delicadeza
Calar quando o outro espera uma palavra é omissão
Calar e não falar palavras inúteis e penitência
Calar quando não há necessidade de falar é prudência
Calar quando Deus nos fala no coração é silêncio
Calar diante do mistério que não entendemos é sabedoria
Tenhas uma semana abençoada!

O canto na Missa

Parece que aqui está um dos maiores problemas das nossas celebrações. Há quem defenda que o ideal seria os mesmos cantos o ano inteiro. Não é um bom critério porque durante o ano celebramos os diferentes momentos da história da salvação. Outros acham que se deve cantar o que o povo já sabe. Seria um critério ainda mais sofrível. E não faltam opiniões.


Uma coisa é certa: sem ensaio prévio da equipe de canto e antes da celebração, motivar o povo – não existe canto fácil. E é importantíssimo que as equipes de canto conheçam os vários documentos da Igreja sobre o canto litúrgico...

A orientação da Igreja é clara quanto ao canto: ele não é algo postiço à celebração – é parte integrante: “o canto sagrado, intimamente unido com o texto, constitui parte necessária ou integrante da Liturgia solene”(SC 112).

Infelizmente em muitos casos o canto não somente não está integrado ao mistério que está sendo celebrado como vai em direção oposta. Canta-se qualquer coisa. E há de tudo: cantos individualistas, cantos que falam de brasa em cima do altar, anjos caindo pra cá e pra lá... há cantos com melodia bonita – próprios para animar encontros ou reuniões de determinados movimentos, mas não são próprios para a celebração litúrgica. Sem falar de situações de barulho que mais atrapalham do ajudam a viver o mistério celebrado.

E há também experiências maravilhosas equipes empenhadas. É um tema a ser bastante refletido. Ainda que tenha suas limitações, penso que o Hinário Litúrgico é caminho bem seguro. Há trinta anos nosso Folheto Povo de Deus tem feito está opção.

Côn. Severino Martins

Folheto Povo de Deus, Arquidiocese de São Paulo

15º Domingo do Tempo Comum

15 de julho
+ Verde. 15º DOMINGO DO TEMPO COMUM
3ª semana do Saltério.
Ofício dominical comum.
Missa pr: Gl, Cr, Pf dos domingos cms.

Leituras: Dt 30, 10-14;
Sl 68 (69), 14 e 17. 30-31. 33-34. 36ab e 37 (+ cf. 33);
Cl 1, 15-20
Lc 10, 25-37 (Bom samaritano)

14 de julho de 2007

A cruz: resposta de amor

No alto do Calvário, crucificado, Cristo sentiu-se sozinho, abandonado e esquecido por todos, até por Seu Pai. Não tinha nenhuma resposta para Sua dor, nenhum consolo. Não tinha resposta nem para uma pergunta fundamental, que resumia toda a Sua perplexidade: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" (Mt 27, 46). Naquela hora, como em toda a Sua vida, o Pai estava a Seu lado, participava de Sua dor e a acolhia. Permitia que Seu Filho vivesse uma experiência única: assumir em Seu coração toda a dor da humanidade, todo o Seu sofrimento e abandono, toda solidão e sentimento de inutilidade que qualquer pessoa, em qualquer época ou lugar, poderia enfrentar. Aqueles momentos foram sementes de vida; sementes de amor e amizade, de paz e solidariedade para os homens e mulheres de todos os tempos. Jesus passou por essa situação para que todos se sentissem menos sós; para que a dor de cada pessoa, sua experiência de solidão e abandono tivessem sentido o valor. E para que fossem, também, fonte de salvação para muitos. De vez em quando, Cristo convida outros a participarem de Seu abandono. Nessas oportunidades, não lhes dá resposta aos inúmeros porquês que se multiplicam em sua mente. Não é fácil, pois, amar uma situação assim. Torna-se, contudo, um pouco menos difícil quando Ele, o Crucificado, é lembrado. Ele, que pouco falou de dor, porque foi a própria Dor. Não discorreu sobre o abandono, porque foi o Abandonado. Não escreveu um tratado sobre a Cruz, mas tomou a Cruz que lhe ofereceram e subiu em direção ao Calvário. Sabia que lá a morte O aguardava. Mas Ele mesmo havia antecipado: "Quando Eu for levantado da terra, atrairei todos a Mim". E o evangelista completou: "Ele falava assim para indicar de que morte iria morrer" (Jo 12, 32-33). Sua morte seria uma verdadeira páscoa, isto é, prenúncio e garantia de Ressurreição. Também a semente precisa cair em terra e morrer, para que dela possa surgir a vida, e vida em abundância: "Em verdade, em verdade, vos dito: se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só. Mas, se morre, produz muito fruto" (Mt 12,24).

Muitas vezes não adiantará você perguntar por que diante de uma doença ou decepção, diante da morte de uma pessoa que lhe é muito querida ou de uma tragédia que se abate sobre a humanidade. É preciso, isto sim, pedir ao Pai que o enriqueça de amor e confiança, uma confiança e amor tais que o tornem suficientemente corajoso a ponto de se colocar em Suas Mãos, como Jesus, que depois de Sua pergunta sem resposta "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?", "deu um forte grito: 'Pai, em Tuas Mãos entrego meu espírito'. Dizendo isso, expirou" (Lc 23, 46).

Texto de D. Murilo S. R. Krieger, SCJ

Revista Brasil Cristão - Julho 2007

Refletindo com esse bonito texto, podemos, pela coragem de Jesus dizer: ABA PAI! PAPAI! PAIZINHO! Pois não somos como ovelhas que vagam sem saber pra onde, nós temos um destino, temos um Pai que nos chama e quer nos encontrar!

Paz meus irmão queridos! E que a Virgem Imaculada interceda por cada um de nós!

12 de julho de 2007

Revista Missões On-line

Revista Missões On-line

Documento de Aparecida

Carta de S.S.Benedicto XVI a los hermanos en el Episcopado de América Latina y del Caribe - V Conferencia General del Episcopado Latinoamericano y del Caribe, autorizando a publicação do documento de Aparecida!

O Quarto Poder - Vamos viver da Polêmica

É impressionante como a mídia pode influencia o povo de Deus. Estamos vendo uma enxurrada de mensagens em todos os grandes site de comunicações sobre o documento resposta da Congregação para Doutrina da Fé da Cúria Romana.

O que mais me deixa impressionado é que ninguém se dá o trabalho de ler o documento fonte de tanta polemica, preferem ficar só com o que diz o reporte fulano de tal, ou o jornalista beltrano. O que é pior é ver cristãos católicos criticando a “posição dura” do Papa Bento XVI, ninguém percebeu que não foi um documento produzido pelo Papa? Ninguém percebeu que o documento trata apenas de dar uma resposta a um termo usado no Vaticano II? E mais ainda, ninguém percebeu o grande bem que o documento trás no relacionamento com as outras igrejas?

Vamos ampliar a nossa visão!! É preciso também que seja dado uma resposta para esses que gostam de criar polemica. Quero dá a minha resposta, não em nome da Igreja pois não a represento, mas como um católico consciente, como um historiador que sabe o que é uma fonte escrita.

LEIA O DOCUMENTO, POVO DE DEUS!!

Ps.: companheiros de blog, façam os seus comentários sobre o assunto, por favor.

Oração pela saúde de João Selhorst

Queremos nos unir em oração, pedindo a Deus pela saúde de João Gregório Selhorst, e pela sua família, que o acompanha nesse momento de enfermidade. João é esposo da Nazaré, da Paróquia São Peregrino, participantes do grupo litúrgico São Peregrino.

Pai Nosso
Que estais nos céus,
Santificado seja o Vosso nome.
Venha a nós o Vosso reino,
Seja feita a Vossa vontade
Assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje.
Perdoai-nos as nossas ofensas
Assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
E não nos deixeis cair em tentação
Mas livrai-nos do mal.
Amém.

Ave Maria cheia de graça,
o Senhor é convosco.
Bendita sois vós entre as mulheres,
e bendito o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, Mãe de Deus,
rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte.
Amém.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!
Como era no príncipio agora e sempre. Amém!

11 de julho de 2007

Caminho do amor

Durante nossa caminha ao lado do Senhor Jesus é certo que carregaremos nossas cruzes, afinal Ele mesmo nos indicou este caminho!
Porém, ainda mais certo que isso meus irmãos, é o fato de que Jesus está conosco, nos ajudando a ser melhores no Espírito Santo, nos mostrando onde devemos pisar para agradar o coração do Pai que nos criou e aguarda por nós no céu.
Hoje meu convite é que você olhe pra Jesus e contemple Seu amor sem fim, amor que está gravado em você desde o dia em que foi batizado, amor que é sinal de redenção, amor que completa e que faz feliz!
Viva a bela dinâmica do amor que vem de Deus! Diga não a apatia na qual o mundo tantas vezes quer lhe ensinar a viver. Pois quando o mundo diz que é loucura, é aí que estamos tocando o Coração Sagrado do Senhor.
Vamos oferecer uma rosa para Nossa Mãe?
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.
Paz! E que a Virgem Maria lhes proteja!

Conto da Borboleta


Um dia, uma pequena borboleta apareceu em um casulo. Um homem sentou e observou a borboelta por várias horas. Conforme ela se esforçava para fazer com seu corpo passasse através daquele pequeno buraco. Então pareceu que ela parou de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia.

O homem decidiu ajudar a borboleta, pois ele que esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo, que iria se firmar a tempo.


Nada aconteceu!


Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e a asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar. O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário da borboleta para passar através dele, era o modo que Deus fazia com que o fluído do corpo dela fosse para suas asas, de modo que estaria pronta para voar, uma vez livre do casulo.


Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem qualquer obstáculo, se tudo fosse "fácilo", Ele nos deixaria "aleijados". Não seríamos tão fortes como poderíamos ter sido. Nunca voaríamos...


Pedimos forças... e Deus nos dá dificuldades para nos fortalecer

Pedimos sabedoria... e Deus nos dá problemas para resolver

Pedimos coragem... e Deus nos coloca em situações de medo para superar

Pedimos amor... e Deus nos dá pessoas difíceis para amar e ajudar

Pedimos favores... e Deus nos dá oportunidades


Não recebemos nada que pedimos...

Mas recebemos tudo o que precisamos!!!

Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro

Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro

Rádio Maria 94.5 Fm - Uma Voz Católica em Sua Casa - Home

Confira a programação da Rádio Maria 94.5 Fm - Uma Voz Católica em Sua Casa

Para refletir

Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e quando passavam por uma ponte viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pelas margens do rio e entrou na água. Pegou o escorpião em suas mãos e quando o trazia para fora da água, o animal o picou. Por causa da dor, o bom homem o deixou cair novamente no rio. Então o monge foi novamente até a margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou da correnteza.
Os discípulos haviam assistido a cena e o receberam penalizados:
-"Mestre, o escorpião o picou! Deve está doendo muito! Por que foi salvar este bicho tão ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu a sua ajuda! Picou a mão que o salvara! Não merecia sua compaixão!"
O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu:
-"ELE APENAS AGIU CONFORME A NATUREZA DELE E EU CONFORME A MINHA".

Só oferecemos aquilo que temos, jamais poderíamos oferecer o que não é nosso. Também não temos o direito de querer mudar os outros, mas com certeza, podemos dar o que de melhor temos e podemos também, aprender a apreciar aquilo que o outro tem de melhor.

(Mensagem enviada por um colaborador anônimo do blog)

10 de julho de 2007

Amizade




















O que seria de nós sem os amigos que o Senhor coloca em nossas vidas?

Sinceramente não encontro respostas para está pergunta.

Pois esses amigos são verdadeiros anjos que o Senhor nos dá!

Deus é infinitamente perfeito e sabendo das nossas fraquezas sempre dá um jeitinho de colocar esses irmãos tão especiais em nossas vidas.

Jesus, é o nosso irmão e maior amigo, mas não é nem um pouco ciumento. Pelo contrário, Ele quer que todos sejamos amigos "amemo-nos uns aos outros pois o amor vem de Deus".

Tenho inúmeros testemunhos de coisas maravilhosas que aconteceram em minha vida, onde esses amigos foram usados por Deus para me ajudar, tem alguns que nem sabem que me ajudaram, tem aqueles que já compartilhei, mas o importante é reconhecer e acreditar na ação de Deus que fala através dos nossos irmão.

Louvo e agradeço a Deus por todas as coisas que Ele me dá inclusive por vocês meus amigos. Nem sempre podemos estar juntos, mas quero que saibam que mesmo quando não estou "presente", vocês estão comigo aqui dentro do meu coração!

Que Deus os abençoe e vos guardem!

E se você que está lendo esse pequeno texto acha que não tem amigos , quero te convidar a aproximar-se de Jesus e Ele sendo seu maior amigo mandará amigos irmão para aquecerem o teu coração e te ajudarem a traçar o caminho do amor.

O sentimento do Congresso da R.C.C.

Nesse último final de semana ocorreu o Congresso Estadual da Renovação Carismática Católica, posso afirmar que foi o melhor de todos. Falo isso baseado não por sua organização, não pela quantidade de pessoas que participaram, não pelo local, mas pelo que foi apresentando à Renovação Carismática Católica do Estado do Acre.

O sentimento do Congresso foi o mais fraterno e comunitário possível, fomos todos abençoados pelas pregações, que realmente foram proféticas. Agora, o que mais podemos ressaltar, foi o clamor para toda a Renovação dá testemunho da sua experiência da efusão do Espírito Santo.

Essa experiência com a pessoa do Espírito Santo que muitas vezes não podemos resumir em palavras mas somente em atos, um sentimento real da presença de Deus em nossas vidas, amor a palavra, amor a Igreja, aos seus Pastores, compreensão com os irmãos e principalmente o reconhecimento que Jesus é o Senhor.

Agora, isso não é só para a RCC porque isso é um tesouro da Igreja Católica para todos os seus membros, é só pedir que você receberá.

Orar é amar

Eu estou orando por você
Eu estou pedindo por você
O Espírito Santo vai me atender

Eu posso sentir a sua dor
Creia, eu vou orar com muito amor
Sabendo que Deus vai me ouvir

Amar é conduzir o outro ao céu
Orar é partilhar da mesma dor
Em gestos, criar o bem no outro

Eu te ligarei ao céu vou te carregar na sua dor
Eu vou trazer o céu com meu louvor

Orar é amar, orar é pedir, orar é sentir a mesma dor
Orar é sofrer, orar é querer,orar é viver só no louvor


Amar é cuidar, amar é doar, amar é perder para ganhar
Eu vou trazer o céu até você


(Celina Borges - Orar É Amar)

Clame a Deus!

Em muitos momentos da vida sentimos angústias, passamos por sofrimentos, tribulações...

Nesses momentos clame a Deus:


Aqui estou Senhor
E Te apresento a minha dor
Só o teu consolo e amor, eu quero ter
Sem ânimo estou de continuar assim
Preciso de Tua força aqui
Vem tocar em mim

Clamo ó Deus, clamo ó Deus
Clamo ó Deus, clamo ó Deus
Por Teu amor, por Teu amor Senhor
Clamo ó Deus, clamo ó Deus
Clamo ó Deus, clamo ó Deus

Por Teu amor em mim, por Teu amor sem fim
E se é assim que estou Senhor
Eu Te ofereço essa ferida
Acolhe a minha história
Reanima a minha vida

Eu quero ó Deus, eu quero ó Deus
O Teu amor, o Teu amor Senhor
Eu quero ó Deus, eu quero ó Deus
O teu amor em mim, o teu amor sem fim Senhor

Clamo Ó ti Ó Deus
Eu quero o teu amor
Clamo ó ti ó Deus
Preciso do Teu Amor
Eu quero ó Deus, eu quero ó Deus, o Teu amor
O teu Amor Senhor
Eu quero ó Deus, eu quero ó Deus o teu amor em mim, o
teu amor sem fim


(Celina Borges - Clamo Ó Deus)

9 de julho de 2007

Não é comum...




Não é comum a violência,

Não é comum os jovens se drogarem, se prostituírem e famílias se desfazerem.

Não é comum matar, roubar, odiar....

Não é comum as pessoas não terem onde morar e nem mesmo o que comer.

Temos que não só acreditar que podemos viver em um mundo melhor. Mais do que isso, precisamos também agir!

Quando alguém disser que o mundo está perdido, que não tem mais solução, que ninguém mais é honesto... é preciso ter coragem de dizer que não é assim. Que acreditamos sim em um mundo melhor, e mais, que existem pessoas boas!Que amam e que se deixam amar.

O nosso papel como verdadeiros cristãos que vivem o batismo no Espírito Santo é lutar e viver, dando testemunho vivo que o mundo pode ser melhor e mais justo seguindo e persistindo nos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Não podemos nos deixar abater diante das injustiças que acontecem e as fraquezas do nosso próprio ser. Pois jesus já reconhece o esforço da busca e não importa se estamos em menor número, Deus prefere assim para que todos vejam de fato que tudo acontece por suas mãos, pois maior do que o pecado que habita em nós é a bondade que pode florescer no coração de cada homem e mulher que usarem o adubo da palavra e o fertilizante do Espírito Santo em suas vidas!

Horários de missa no Santuário de São Peregrino

Santuário de São Peregrino
Estrada da Floresta 103
Bairro Floresta
Tel.: 3226 3121

Horário de missas :
Domingo - às 8h e às 19h
Quinta - Adoração e missa, a partir da 18h
Sábados - às 19h

1ª Sexta-feira do mês - Sagrado Coração de Jesus - às 18h30min
No dia 4 de cada Mês - São Peregrino - às 19h

Envie-nos os dados por e-mail e divulgaremos os horários de missa em sua comunidade!

7 de julho de 2007

XIV Domingo do Tempo Comum

Dia 8 de julho
+ Verde. 14º DOMINGO DO TEMPO COMUM
2ª semana do Saltério.
Ofício dominical comum.
Missa pr: Gl, Cr, Pf dos domingos cms.

Leituras:
Is 66, 10-14c;
Sl 65 (66), 1-3a. 4-5. 6-7a. 16 e 20 (+ 1);
Gl 6, 14-18
Lc 10, 1-12.17-20 ou abrev. 1-9

Fé concreta

Quando olho o rosto de Jesus refletido na Eucaristia, contemplo o Amado de minha alma, Aquele que faz tudo valer a pena, que transforma o que é fraqueza em fortaleza, Aquele que realiza o impossível, que faz viver o que já estava morto. Contemplar Jesus me faz ver minha impotência, minha pequenez diante de tantos que sofrem o abandono, diante da incerteza de tantos que ainda têm sede de Deus, porém, ao mesmo tempo me faz ver a misericórdia na qual estou envolvida, me faz ver que sou filha do céu.

Jesus, o Pão da Vida, nos convida a viver uma fé concreta e fraterna, uma fé renovada que não busca apenas interesses que são seus, fé quem envolvida pelos dons do Espírito Santo nos enche de confiança e fortaleza. Não é mais suficiente apenas falar do amor de Deus, mas é chegada a hora de viver esse amor, não só pregá-lo com palavras, mas com o testemunho.

Um grão de areia sozinho não pode formar uma praia! Algumas vezes, diante do desafio de evangelizar nos sentimos assim como um grãozinho de areia, solitários. É certo que sozinhos nada podemos ser, nem fazer, mas a presença doce e incomparável do Espírito Santo agindo em nós, pode realizar uma obra nova. Apenas quando nos juntamos aos irmãos, e com eles partilhamos nossa vida, podemos viver com maior intensidade os dons com os quais Deus nos presenteia. Jesus poderia ter realizado toda Sua obra sozinho se quisesse, mas o Filho de Deus não quis se privar do dom de amar através do outro, amar é conduzir o outro ao céu, através da oração partilhar da mesma dor, com gestos concretos criar um bem no outro, e as vezes, se for necessário, perder para ganhar. Precisamos abrir nossos olhos para ver a verdade! Não podemos mais nos contentar com reflexos confusos, pois conhecemos a verdade, conhecemos Jesus. É hora de trilhar o caminho aberto por Ele. Temos pressa!

A vinda do Senhor já não demora muito! O que vamos apresentar diante do Rei quando Ele nos perguntar pelos irmãos e pelo amor que nos confiou? Qual será nossa resposta ao dono da vida que vivemos?

Olhar pra Jesus é trilhar o caminho da salvação, é deixar de ser um grãozinho de areia solitário e formar uma grande praia para o Senhor!

Hoje vos convido a ser um grãozinho de areia que sabe qual é o seu papel.

Paz é o que vos desejo.



Os discípulos, mensageiros da salvação

Cristo chama para enviar. Ser discípulo de Jesus não é privilégio para si, mas serviço para o reino de Deus. Jesus envia seus discípulos para "anunciar" que o reino de Deus está próximo.

A missão, anúncio de esperança

O homem aspira pela paz, mas faz a guerra; o homem quer ser amado e amar, mas de fato, muitas vezes, não é amado e não ama. O homem quer a justiça, a igualdade, mas comete injustiça, produz estruturas injustas e opressoras.

O homem, no íntimo do seu ser, é busca do Deus vivo, mas produz ídolos mortos, nega e recusa a Fonte.

O homem quer, em todos os níveis, a vida em plenitude, sem fim, e só encontra doença e morte.

O discípulo de Cristo anuncia que as contradições mais amargas da existência serão resolvidas, que as aspirações mais profundas do homem serão realizadas "por intervenção gratuita de Deus", de modo inesperado e inaudito, com a vitória completa sobre o mal. O que é impossível ao homem, é possível a Deus (1a leitura).

A salvação é anunciada e realizada em um mundo dominado pela lógica do pecado. Por isto, tem ela um momento negativo; a libertação de todas as forças demoníacas que alienam o homem de si mesmo e de Deus (evangelho).

Esta salvação, porém, não se fará abruptamente. 0 mal não será vencido imediatamente. Não será combatido com armas poderosas, através da força, como pensavam os judeus.

A cruz é a glória do missionário

O mensageiro da salvação se encontra no meio dessas forças demoníacas, "é como cordeiro no meio de lobos"; não há missão sem perseguição, sem sofrimento, sem cruz. A cruz é a "glória" do missionário e de todo cristão (2a leitura), porque o põe numa existência nova. A cruz "pelo reino de Deus", aceita com amor, é o "sinal" da vitória sobre o mal e a morte. Para o cristão, a certeza da sua ressurreição consiste em estar ele crucificado pela provação e a contestação. A provação, para são Paulo, não é só uma ascese, uma ocasião de vida moral, nem uma simples imitação da cruz de Jesus, mas é o lugar da esperança e da profecia do reino que vem, e que os mensageiros do evangelho proclamam com a palavra e a vida, para confirmar que o mundo novo já começou e é possível.

Sinais do mundo novo

À lógica do mundo velho eles opõem a lógica de Deus. Em um mundo de lobos, dominado pela agressividade, a sua presença é condenação radical da violência.

Num mundo em que o que define o homem "é o dinheiro que tem e as vestes que usa", vão os discípulos de Cristo vestidos pobremente, sem bolsas e bagagens, contentes com a hospitalidade que recebem. A proximidade do reino os dispensa de preocupar-se com o próprio futuro terrestre; sua pobreza tem sentido profético, assim como a cura dos doentes. O sinal de que o reino de Deus está presente é o fato de que o homem é libertado do pecado e suas conseqüências. Esta libertação, porém, é lenta e requer sofrimento, morte e paciência. Não é libertação triunfal, como imaginavam os judeus do tempo de Jesus.

O essencial não é o êxito, mas a fidelidade a Cristo

O anúncio cristão da salvação é um dos muitos sinais presentes no mundo contemporâneo. Cada um dos blocos em que está dividida a humanidade possui a própria visão da história e dispõe de uma força extraordinária de publicidade e propaganda para dar a conhecer aos "outros" a sua "boa nova" de salvação.

Mas a Igreja se apresenta para manifestar o anúncio com meios pobres. Se o faz sob o aspecto de "potência", é rejeitada pelo homem moderno. Sua mensagem, estritamente religiosa, fala, porém, a uma mentalidade preconcebida. Os homens do nosso tempo consideram como uma alienação o recurso ao Deus que salva. Aceitam a Igreja, antes como portadora de um ideal moral de fraternidade universal posto a serviço do homem no combate que se trava pela justiça e a paz.

Essa situação é motivo de perturbação para o cristão consciente de que a Boa-nova da salvação, adquirida em Jesus Cristo, jamais poderá reduzir-se a um ideal moral de fraternidade universal. Que fazer então? Fazer calar o autêntico evangelho à espera de dias melhores? não é possível! mas se não se pode calar a Palavra, onde, quando e como proclamá-la hoje? O que o Senhor nos pede é a fidelidade a ele, à sua mensagem e ao seu estilo de anúncio. Não nos garante o êxito.


MISSAL DOMINICAL, Missal da Assembléia Cristã, pgs. 228-229, ©Paulus, 1995

6 de julho de 2007

O amor

O Amor é paciente,o Amor é prestativo, não guarda rancor.
Não se alegra com a injustiça; mas se regozija com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê; tudo espera, tudo suporta.
O Amor jamais passará!
(lCor 13, 4; 5b-8b)

O Transcendente

O Transcendente

Missão Jovem

Missão Jovem

P.I.M.E. - Net - Pontifício Instituto Missões Exterior

P.I.M.E. - Net - Pontifício Instituto Missões Exterior

Editora PUC-Rio

Editora PUC-Rio

Edições Loyola

Edições Loyola - Bem-vindos Internautas

5 de julho de 2007

A grande prova

Gn 22, 1-19

Dos grandes homens do Antigo Testamento, Abraão é, sem dúvida alguma, figura das mais deslumbrantes.

Sua vida foi plenamente evolvida pelos sonhos de Deus, sonhos estes que ultrapassavam todas as expectativas, suas próprias expectativas. Abraão e Sara, sua esposa, sonhavam em ter filhos, mas já em idade avançada ainda não haviam conseguido. Então, por serem família digna e temente a Deus, o Senhor derramou Suas bençãos sobre eles e lhes deu um filho, Isaac, que foi a realização do impossível em suas vidas. Deus prometeu a Abraão tantos filhos quanto as estrelas do céu e as areias da praia! E mesmo que lhe parecesse impossível, Abraão acreditou. Passados alguns anos, novamente Deus o chama a provar seu amor, obediência e confiança, e lhe pede seu único filho em holocausto.

A grande prova!

Abraão hesitou?

Nem por um momento.

Abraão estava feliz, contente em dar seu único filho em holocausto?

Certamente não. Mas Abraão sabia como amar Deus sobre todas as coisas, inclusive sobre todas as provas.

Deus amava menos Abraão por lhe pedir algo assim?

Jamais! Por isso, não importa quantas provas tenhamos que viver enquanto estivermos aqui, nem quantas vezes será necessário chorar para que a obra de Deus seja realizada, Ele sempre estará conosco e quando for difícil demais, Ele sempre enviará um anjo, como fez com Abraão, e nos dirá para qual direção devemos olhar.

Por mais difícil que possa parecer, nunca, sob hipótese alguma, estaremos perdidos ou sós nessa vida! Pois o que nos move é o Espírito Santo de Deus.

Hoje, vos convido a viver a exemplo deste grande servo, que por sua fé constituiu o povo de Deus.

Hoje vos convido a viver a fé de Abraão e de Sara!

Hoje vos convido a obedecer! Vos convido a vencer!

A Paz do Senhor, é o que vos desejo irmãos.

Missão: fazer discípulos

A diferença entre o seguidor e o discípulo

→ O seguidor espera pães e peixe; o discípulo é um pescador.
→ O seguidor luta por crescer; o discípulo luta por reproduzir-se.
→ O seguidor se ganha; o discípulo se faz.
→ O seguidor gosta do afago; o discípulo gosta do serviço e do sacrifício.
→ O seguidor entrega parte dos seus desejos; o discípulo entrega sua vida.
→ O seguidor ouve a palavra e a guarda no coração, o discípulo leva esta palavra aos aflitos;
→ O seguidor espera que lhe apontem a tarefa; o discípulo é solicito em tomar a responsabilidade.
→ O seguidor quase sempre murmura e reclama; o discípulo obedece e nega a si mesmo.
→ O seguidor reclama que o visitem; o discípulo visita.
→ O seguidor conhece a Bíblia de capa a capa, o discípulo conhece e pratica o que sabe;
→ O seguidor pratica a caridade, o discípulo pratica o mais puro amor, o amor de deus;
→ O seguidor sonha com a igreja ideal; o discípulo se entrega para fazer a igreja real.
→ O seguidor diz: Que bonito!; o discípulo diz: Eis-me aqui.
→ O seguidor aponta o dedo e mostra as pessoas para Deus, o discípulo mostra Deus às pessoas;
→ O seguidor espera por um avivamento na igreja; o discípulo é parte do avivamento.
→ O seguidor é condicionado pelas circunstâncias; o discípulo as aproveita para exercitar sua fé.
→ O seguidor vale porque soma; o discípulo vale porque multiplica.
→ O seguidor é importante; o discípulo é indispensável.

Vamos refletir!!!

Primeiro mês do blog "Somos servos"

No dia 4 de junho de 2007 foi criado o blog "Somos servos".
Registramos no primeiro mês on line com mais de 940 acessos.
Talvez nessa próxima sexta alcancemos mil acessos.
Agradecemos a todos os irmãos e irmãs que estão nos apoiando e incentivando para a manutenção do blog.
Que Deus confirme a obra de nossas mãos!

4 de julho de 2007

Milagres

Lembremo-nos sempre de como Maria concebeu e deu a luz a seu filho Jesus, o nosso salvador! Esse foi um grande milagre!



Milagres...

Quantos milagres você já presenciou?

Qual é o milagre que você quer que Deus realize hoje em sua vida?

Você acredita em milagres?

Meu irmão e minha irmã, pode ser que diante destas três perguntas que acabou de ler tenha se revelado um ponto de interrogação em seu coração, mas peço-te que não carregues consigo esse ponto por anos a fio de sua vida. Pois o fato de poder estar vivo, vendo, lendo e compreendendo o que agora lê, já é um milagre. O milagre da vida!

Onde Deus no seu infinito amor nos criou dando-nos a inteligência, a ciência do espírito e também a sabedoria. Meus amados, isto definitivamente é um milagre de Deus!

O modo como as coisas acontecem em nossas vidas, principalmente quando conseguimos através da oração e entrega ao Senhor resolver situações que pareciam sem solução aos nossos olhos, também é milagre de Deus, mesmo que na maioria das vezes não reconheçamos tal prodígio, por acharmos que são graças simples e pequenas de serem alcançadas.

Mas Deus realiza as obras conforme a necessidade e mais do que isso de maneira que nos leve à salvação. O que para você apresenta-se de forma impossível para outro pode ser fácil !

Mas pra você continuará sendo um milagre.

Houve um tempo em que milagres para mim eram somente aqueles acontecimentos totalmente inesperados como por exemplo: a cura de uma pessoa em estado terminal, uma conversão instantânea, a ressurreição de um morto ou algo parecido, ora vejam só como eu queria dar uma de São Tomé! Mas posso garantir a cada um de vocês, se hoje eu ainda pensasse assim não teria a alegria de perceber e viver os vários milagres que Deus realizou e realiza em minha vida. Por experiência própria digo-vos não comecem querendo que Deus transporte uma imensa montanha de um lugar para outro diante de seus olhos, comece pedindo algo essencial!

Peça o Amor! Peça que Deus te ensine a amar, pois o amor é o maior milagre que Deus pode realizar em você, principalmente nos dias de hoje , onde tudo é valido para se ter um suposto sucesso, mesmo que para isso você tenha que passar por cima do irmão. Mas com o amor em seu coração tudo mais será uma consequência.

Quem ama perdoa, tem fé, força, coragem e paciência para esperar e alcançar o milagre que tanto deseja que o Senhor venha realizar em sua vida.

Abra os olhos da fé e perceba quantos milagres Deus tem feito por você.

Deus seja louvado!

Caminhada missionária da paz

Confira as fotos da Caminhada missionária da paz na Paróquia São Peregrino, Rio Branco - AC

Com o tempo você aprende que...

Amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se levam anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
e o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que se pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar à pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa aonde chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja a situação, sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens... seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva você tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.
Descobre que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente é forte e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!


(tradução livre de um texto de Willian Shakespeare, enviado-me por e-mail)

3 de julho de 2007

Senhora do Silêncio

Mãe do Silêncio e da Humildade, tu vives perdida e encontrada no mar sem fim do Mistério do Senhor.

Tu és disponibilidade e recptividade. Tu és fecundidade e plenitude. Tu és atenção e solicitude pelos irmãos. Estás revestida de fortaleza. Resplandecem em ti a maturidade humana e a elegância espiritual. És senhora de ti mesma antes de ser nossa Senhora.

Em ti não existe dispersão. Em um ato simples e total, tua alma, toda imóvel, está paralizada e identificada com o Senhor. Estás dentro de Deus, e Deus dentro de ti. O Mistério total te envolve e te penetra e te possui, ocupa e integra todo o teu ser.

Parece que em ti tudo ficou parado, tudo se identificou contigo: o tempo, o espaço, a palavra, a música, o silêncio, a mulher, Deus. Tudo ficou assumido em ti, e divinizado.

Jamais se viu figura humana de tamanha doçura, nem se voltará a ver nesta terra uma mulher tão inefavelmente evocadora.

Entretanto, teu silêncio não é ausência mas presença. Estás abismada no Senhor e ao mesmo tempo atenta aos irmãos, como em Caná. A comunicação nunca é tão profunda como quando não se diz nada, e o silêncio nunca é tão eloquente como quando nada se comunica.

Faz-nos compreender que o silêncio não é desinteresse pelos irmãos mas fonte de energia e de irradiação, não é encolhimento mas projeção. Faz-nos compreender que, para derramar, é preciso preencher-se.

Afoga-se o mundo no mar da dispersão, e não é possível amar os irmãos com um coração disperso. Faz-nos compreender que o apostolado, sem silêncio, é alienação, e que o silêncio, sem apostolado, é comodidade.

Envolve-nos em teu manto de silêncio e comunica-nos a fortaleza de tua Fé, a altura de tua Esperança e a profundidade de teu Amor.

Fica com os que ficam e vem com os que partem.

Ó Mãe admirável do silêncio!


Nossa Senhora do Silêncio
Inácio Larrañaga

Seguidores

Google+ Followers

Viva Nossa Senhora!

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email