30 de abril de 2010

A Palavra de Deus na Vida - CNBB





Leituras Relacionadas ao dia 30/04/2010 - CNBB
Branco. 6ª-feira da 4ª Semana da Páscoa

1ª Leitura - At 13,26-33
A promessa que Deus fez
ele a cumpriu quando ressuscitou Jesus.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 13,26-33
Naqueles dias, tendo chegado a Antioquia da Pisídia,
Paulo disse na sinagoga:
26Irmãos, descendentes de Abraão,
e todos vós que temeis a Deus,
a nós foi enviada esta mensagem de salvação.
27Os habitantes de Jerusalém e seus chefes
não reconheceram a Jesus
e, ao condená-lo, cumpriram as profecias
que se lêem todos os sábados.
28Embora não encontrassem nenhum motivo
para a sua condenação,
pediram a Pilatos que fosse morto.
29Depois de realizarem tudo o que a Escritura diz
a respeito de Jesus,
eles o tiraram da cruz e o colocaram num túmulo.
30Mas Deus o ressuscitou dos mortos
31e, durante muitos dias, ele foi visto
por aqueles que o acompanharam
desde a Galiléia até Jerusalém.
Agora eles são testemunhas de Jesus diante do povo.
32Por isso, nós vos anunciamos este Evangelho:
a promessa que Deus fez aos antepassados,
33ele a cumpriu para nós, seus filhos,
quando ressuscitou Jesus,
como está escrito no salmo segundo:
"Tu és o meu filho, eu hoje te gerei".
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 2, 6-7. 8-9. 10-11 (R. 7)
R. Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

6"Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei*
e em Sião, meu monte santo, o consagrei!"
7O decreto do Senhor promulgarei, +
foi assim que me falou o Senhor Deus: *
"Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!R.

8Podes pedir-me, e em resposta eu te darei +
por tua herança os povos todos e as nações, *
e há de ser a terra inteira o teu domínio.
9Com cetro férreo haverás de dominá-los, *
e quebrá-los como um vaso de argila!R.

10E agora, poderosos, entendei; *
soberanos, aprendei esta lição:
11Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória *
e prestai-lhe homenagem com respeito!R.


Evangelho - Jo 14,1-6
Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 14,1-6
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
1"Não se perturbe o vosso coração.
Tendes fé em Deus,
tende fé em mim também.
2Na casa de meu Pai há muitas moradas.
Se assim não fosse, eu vos teria dito.
Vou preparar um lugar para vós,
3e quando eu tiver ido preparar-vos um lugar,
voltarei e vos levarei comigo,
a fim de que onde eu estiver
estejais também vós.
4E para onde eu vou,
vós conheceis o caminho."
5Tomé disse a Jesus:
"Senhor, nós não sabemos para onde vais.
Como podemos conhecer o caminho?"
6Jesus respondeu:
"Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.
Ninguém vai ao Pai senão por mim.
Palavra da Salvação.


Reflexão - Jo 14, 1-6
Jesus está prestes a concluir a missão para a qual foi enviado pelo Pai e sabe que a sua presença histórica no meio dos homens está perto do fim. Por isso, ele inicia a preparação dos apóstolos para que reconheçam a sua nova forma de ser presença na vida das pessoas, assim como para receberem o Espírito Santo e serem conduzidos por ele na sua missão evangelizadora. Jesus inicia esta preparação mostrando aos discípulos que ele jamais os abandonará, mas irá preparar um lugar para onde ele mesmo conduzirá todas as pessoas que ele ama a fim de conviverem eternamente com ele.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!

29 de abril de 2010

A Palavra de Deus na Vida - CNBB




Leituras Relacionadas ao dia 29/04/2010 - CNBB
Branco. 5ª-feira da 4ª Semana da Páscoa
Sta. Catarina de Sena VgDra, memória

1ª Leitura - At 13,13-25
Da descendência de Davi Deus fez surgir
para Israel um Salvador, que é Jesus.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 13,13-25
13Paulo e seus companheiros embarcaram em Pafos
e chegaram a Perge da Panfília.
João deixou-os e voltou para Jerusalém.
14Eles, porém, partindo de Perge,
chegaram a Antioquia da Pisidia.
E, entrando na sinagoga em dia de sábado, sentaram-se.
15Depois da leitura da Lei e dos Profetas,
os chefes da sinagoga mandaram dizer-lhes:
"Irmãos, se vós tendes alguma palavra
para encorajar o povo, podeis falar."
16Paulo levantou-se,
fez um sinal com a mão e disse:
"Israelitas e vós que temeis a Deus, escutai!
17O Deus deste povo de Israel
escolheu os nossos antepassados
e fez deles um grande povo
quando moravam como estrangeiros no Egito;
e de lá os tirou com braço poderoso.
18E, durante mais ou menos quarenta anos,
cercou-os de cuidados no deserto.
19Destruiu sete nações na terra de Canaã
e passou para eles a posse do seu território,
20por quatrocentos e cinqüenta anos aproximadamente.
Depois disso, concedeu-lhes juízes, até ao profeta Samuel.
21Em seguida, eles pediram um rei
e Deus concedeu-lhes Saul, filho de Cis,
da tribo de Benjamim,
que reinou durante quarenta anos.
22Em seguida, Deus fez surgir Davi como rei
e assim testemunhou a seu respeito:
"Encontrei Davi, filho de Jessé,
homem segundo o meu coração,
que vai fazer em tudo a minha vontade."
23Conforme prometera, da descendência de Davi
Deus fez surgir para Israel um Salvador,
que é Jesus.
24Antes que ele chegasse,
João pregou um batismo de conversão
para todo o povo de Israel.
25Estando para terminar sua missão,
João declarou: "Eu não sou aquele que pensais que eu seja!
Mas vede: depois de mim vem aquele,
do qual nem mereço desamarrar as sandálias".
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 88, 2-3. 21-22. 25.27 (R. Cf. 2a)
R. Â Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

2Â Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, *
de geraçóo em geraçóo eu cantarei vossa verdade!
3Porque dissestes: "O amor é garantido para sempre!" *
E a vossa lealdade é tóo firme como os céus.R.

21Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor, *
e o ungi, para ser rei, com meu óleo consagrado.
22Estará sempre com ele minha móo onipotente, *
e meu braço poderoso há de ser a sua força. R.

23Nóo será surpreendido pela força do inimigo, *
nem o filho da maldade poderá prejudicá-lo.
24Diante dele esmagarei seus inimigos e agressores, *
ferirei e abaterei todos aqueles que o odeiam.R.

25Minha verdade e meu amor estaróo sempre com ele, *
sua força e seu poder por meu nome cresceróo.
27Ele, entóo, me invocará: "Â Senhor, vós sois meu Pai, *
sois meu Deus, sois meu Rochedo onde encontro a salvaçóo!`R.



Evangelho - Jo 13,16-20
Quem recebe aquele que eu enviar, me recebe a mim
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 13,16-20
Depois de lavar os pés dos discípulos,
Jesus lhes disse:
16Em verdade, em verdade vos digo:
o servo não está acima do seu senhor
e o mensageiro não é maior que aquele que o enviou.
17Se sabeis isto, e o puserdes em prática,
sereis felizes.
18Eu não falo de vós todos.
Eu conheço aqueles que escolhi,
mas é preciso que se realize o que está na Escritura:
"Aquele que come o meu pão
levantou contra mim o calcanhar."
19Desde agora vos digo isto,
antes de acontecer,
a fim de que, quando acontecer,
creais que eu sou.
20Em verdade, em verdade vos digo,
quem recebe aquele que eu enviar,
me recebe a mim;
e quem me recebe,
recebe aquele que me enviou."
Palavra da Salvação.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!



28 de abril de 2010

A Palavra de Deus na Vida - CNBB





Leituras Relacionadas ao dia 28/04/2010 - CNBB
Branco. 4ª-feira da 4ª Semana da Páscoa

1ª Leitura - At 12,24 - 13,5a
Separai para mim Barnabé e Saulo.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 12,24 - 13,5a
Naqueles dias:
24A palavra do Senhor crescia e se espalhava cada vez mais.
25Barnabé e Saulo, tendo concluído seu ministério,
voltaram de Jerusalém,
trazendo consigo João, chamado Marcos.
13,1Na igreja de Antioquia, havia profetas e doutores.
Eram eles: Barnabé, Simeão, chamado o Negro,
Lúcio de Cirene, Manaém,
que fora criado junto com Herodes, e Saulo.
2Um dia, enquanto celebravam a liturgia,
em honra do Senhor, e jejuavam,
o Espírito Santo disse:
"Separai para mim Barnabé e Saulo,
a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei."
3Então eles jejuaram e rezaram,
impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo,
e deixaram-nos partir.
4Enviados pelo Espírito Santo,
Barnabé e Saulo desceram a Selêucia
e daí navegaram para Chipre.
5aQuando chegaram a Salamina,
começaram a anunciar a Palavra de Deus
nas sinagogas dos judeus.
Eles tinham João como ajudante.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 66, 2-3. 5. 6.8 (R. 4)
R. Que as nações vos glorifiquem ó Senhor,
que todas as nações vos glorifiquem.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

2Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, *
e sua face resplandeça sobre nós!
3Que na terra se conheça o seu caminho *
e a sua salvação por entre os povos.R.

5Exulte de alegria a terra inteira, *
pois julgais o universo com justiça;
os povos governais com retidão, *
e guiais, em toda a terra, as nações.R.

6Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, *
que todas as nações vos glorifiquem!
8Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe, *
e o respeitem os confins de toda a terra!R.


Evangelho - Jo 12,44-50
Eu vim ao mundo como luz.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 12,44-50
Naquele tempo:
44Jesus exclamou em alta voz:
"Quem crê em mim,
não é em mim que crê,
mas naquele que me enviou.
45Quem me vê,
vê aquele que me enviou.
46Eu vim ao mundo como luz,
para que todo aquele que crê em mim
não permaneça nas trevas.
47Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar,
eu não o julgo,
porque eu não vim para julgar o mundo,
mas para salvá-lo.
48Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras
já tem o seu juiz:
a palavra que eu falei
o julgará no último dia.
49Porque eu não falei por mim mesmo,
mas o Pai, que me enviou,
ele é quem me ordenou o que eu devia dizer e falar.
50E eu sei que o seu mandamento é vida eterna.
Portanto, o que eu digo,
eu o digo conforme o Pai me falou."
Palavra da Salvação.


Reflexão - Jo 12, 44-50
Jesus é o grande comunicador do Pai. Ele veio ao mundo não para fazer a própria vontade, mas veio como enviado do Pai para realizar as obras de Deus, e ele foi fiel à sua missão. E a missão que o Pai atribuiu a Jesus é uma missão salvífica: a missão de retirar a humanidade do reino das trevas e introduzi-la no reino da luz. Ser cristão significa ouvir as palavras de Jesus, reconhecer o caráter divino que está presente nela, sentir-se apelado por ela para não mais viver nas trevas do erro, do pecado e da morte, mas sim na luz da verdade, da vida e do amor e responder de forma positiva a este apelo para que, crendo nas palavras de Jesus, creiamos firmemente naquele que o enviou para a nossa salvação.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!


27 de abril de 2010

Vocações em tempo de crise

Vocações em tempo de crise

Muito interessante essa reflexão de Dom Odilo Scherer.

A Palavra de Deus na Vida - CNBB




Leituras Relacionadas ao dia 27/04/2010 - CNBB
Branco. 3ª-feira da 4ª Semana da Páscoa

1ª Leitura - At 11,19-26
Começaram a pregar também aos gregos,
anunciando-lhes a Boa Nova do Senhor Jesus.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 11,19-26
Naqueles dias:
19Aqueles que se haviam espalhado
por causa da perseguição que se seguiu à morte de Estêvão,
chegaram à Fenícia, à ilha de Chipre
e à cidade de Antioquia,
embora não pregassem a Palavra
a ninguém que não fosse judeu.
20Contudo, alguns deles,
habitantes de Chipre e da cidade de Cirene,
chegaram a Antioquia
e começaram a pregar também aos gregos,
anunciando-lhes a Boa Nova do Senhor Jesus.
21E a mão do Senhor estava com eles.
Muitas pessoas acreditaram no Evangelho
e se converteram ao Senhor.
22A notícia chegou aos ouvidos da Igreja
que estava em Jerusalém.
Então enviaram Barnabé até Antioquia.
23Quando Barnabé chegou
e viu a graça que Deus havia concedido,
ficou muito alegre e exortou a todos
para que permanecessem fiéis ao Senhor,
com firmeza de coração.
24É que ele era um homem bom,
cheio do Espírito Santo e de fé.
E uma grande multidão aderiu ao Senhor.
25Então Barnabé partiu para Tarso, à procura de Saulo.
26Tendo encontrado Saulo, levou-o a Antioquia.
Passaram um ano inteiro trabalhando juntos naquela Igreja,
e instruíram uma numerosa multidão.
Em Antioquia os discípulos foram, pela primeira vez,
chamados com o nome de cristãos.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 86, 1-3. 4-5. 6-7 (R. Sl 116, 1a)
R. Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

1O Senhor ama a cidade *
que fundou no Monte santo;
2ama as portas de Sião *
mais que as casas de Jacó.
3Dizem coisas gloriosas *
da Cidade do Senhor.R.

4"Lembro o Egito e Babilônia *
entre os meus veneradores.
Na Filistéia ou em Tiro +
ou no país da Etiópia, *
este ou aquele ali nasceu.
5De Sião, porém, se diz: +
"Nasceu nela todo homem; *
Deus é sua segurança".R.

6Deus anota no seu livro, +
onde inscreve os povos todos: *
"Foi ali que estes nasceram".
7E por isso todos juntos *
a cantar se alegrarão;
e, dançando, exclamarão: *
"Estão em ti as nossas fontes!"R.


Evangelho - Jo 10,22-30
Eu e o Pai somos um.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 10,22-30
22Celebrava-se, em Jerusalém,
a festa da Dedicação do Templo.
Era inverno.
23Jesus passeava pelo Templo,
no pórtico de Salomão.
24Os judeus rodeavam-no e disseram:
"Até quando nos deixarás em dúvida?
Se tu és o Messias, dize-nos abertamente."
25Jesus respondeu:
"Já vo-lo disse, mas vós não acreditais.
As obras que eu faço em nome do meu Pai
dóo testemunho de mim;
26vós, porém, não acreditais,
porque não sois das minhas ovelhas.
27As minhas ovelhas escutam a minha voz,
eu as conheço e elas me seguem.
28Eu dou-lhes a vida eterna
e elas jamais se perderão.
E ninguém vai arrancá-las de minha mão.
29Meu Pai, que me deu estas ovelhas,
é maior que todos,
e ninguém pode arrebatá-las da mão do Pai.
30Eu e o Pai somos um."
Palavra da Salvação.


Reflexão - Jo 10, 22-30
Colaborar na missão salvífica de Jesus através da ação pastoral da Igreja significa levar as pessoas a reconhecerem nele o Deus vivo encarnado para a salvação de todos os que nele crerem. Para que esta ação surta efeito, o anúncio é necessário, mas por si só é insuficiente. Não basta apenas falar de Jesus, é preciso obras, é necessária a vivência dos valores evangélicos, o amor precisa ser concretizado. Mas acima de tudo, é necessária a consciência de que somos participantes da divina missão de salvação dos homens e que quem realiza esta obra não somos nós, mas sim o próprio Deus, é ele quem pastoreia através de nós. Somos na verdade canais de graça para que os homens ouçam a voz de Jesus, sintam-se integrantes do seu rebanho e o sigam rumo à vida eterna.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!


26 de abril de 2010

A Palavra de Deus na Vida - CNBB



Leituras Relacionadas ao dia 26/04/2010 - CNBB
Branco. 2ª-feira da 4ª Semana da Páscoa

1ª Leitura - At 11,1-18
Também aos pagãos Deus concedeu a conversão
que leva para a vida!
Leitura dos Atos dos Apóstolos 11,1-18
Naqueles dias:
1Os apóstolos e os irmãos, que viviam na Judéia,
souberam que também os pagãos
haviam acolhido a Palavra de Deus.
2Quando Pedro subiu a Jerusalém,
os fiéis de origem judaica
começaram a discutir com ele, dizendo:
3"Tu entraste na casa de pagãos e comeste com eles!"
4Então, Pedro começou a contar-lhes,
ponto por ponto, o que havia acontecido:
5"Eu estava na cidade de Jope
e, ao fazer oração, entrei em êxtase
e tive a seguinte visão:
vi uma coisa parecida com uma grande toalha
que, sustentada pelas quatro pontas,
descia do céu e chegava até junto de mim.
6Olhei atentamente e vi dentro dela
quadrúpedes da terra, animais selvagens,
répteis e aves do céu.
7Depois ouvi uma voz que me dizia:
"Levanta-te, Pedro, mata e come."
8Eu respondi: "De modo nenhum, Senhor!
Porque jamais entrou coisa profana e impura
na minha boca".
9A voz me disse pela segunda vez:
"Não chames impuro o que Deus purificou".
10Isso repetiu-se por três vezes.
Depois a coisa foi novamente levantada para o céu.
11Nesse momento, três homens se apresentaram
na casa em que nos encontrávamos.
Tinham sido enviados de Cesaréia, à minha procura.
12O Espírito me disse que eu fosse com eles sem hesitar.
Os seis irmãos que estão aqui me acompanharam
e nós entramos na casa daquele homem.
13Então ele nos contou que tinha visto um anjo
apresentar-se em sua casa e dizer:
"Manda alguém a Jope para chamar Simão,
conhecido como Pedro.
14Ele te falará de acontecimentos
que trazem a salvação
para ti e para toda a tua família".
15Logo que comecei a falar,
o Espírito Santo desceu sobre eles,
da mesma forma que desceu sobre nós no princípio.
16Então eu me lembrei do que o Senhor havia dito:
"João batizou com água,
mas vós sereis batizados no Espírito Santo".
17Deus concedeu a eles o mesmo dom que deu a nós
que acreditamos no Senhor Jesus Cristo.
Quem seria eu para me opor à ação de Deus?"
18Ao ouvirem isso, os fiéis de origem judaica se acalmaram
e glorificavam a Deus, dizendo:
"Também aos pagãos Deus concedeu a conversão
que leva para a vida!"
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 41, 2-3; 42, 3.4 (R. Cf. Sl 41, 3a)
R. A minh"alma tem sede de Deus e deseja o Deus vivo.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

41,2Assim como a corça suspira*
pelas águas correntes,
suspira igualmente minh"alma
por vós, ó meu Deus!R.

3A minh" alma tem sede de Deus,*
e deseja o Deus vivo.
Quando terei a alegria de ver*
a face de Deus?R.

42.3Enviai vossa luz, vossa verdade:*
elas serão o meu guia;
que me levem ao vosso Monte santo,*
até a vossa morada!R.

4Então irei aos altares do Senhor,*
Deus da minha alegria.
Vosso louvor cantarei, ao som da harpa,*
meu Senhor e meu Deus!R.


Evangelho - Jo 10,1-10
Eu sou a porta das ovelhas.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 10,1-10
Naquele tempo, disse Jesus:
1"Em verdade, em verdade vos digo,
quem não entra no redil das ovelhas pela porta,
mas sobe por outro lugar, é ladrão e assaltante.
2Quem entra pela porta é o pastor das ovelhas.
3A esse o porteiro abre,
e as ovelhas escutam a sua voz;
ele chama as ovelhas pelo nome
e as conduz para fora.
4E, depois de fazer sair todas as que são suas,
caminha à sua frente, e as ovelhas o seguem,
porque conhecem a sua voz.
5Mas não seguem um estranho,
antes fogem dele,
porque não conhecem a voz dos estranhos."
6Jesus contou-lhes esta parábola,
mas eles não entenderam o que ele queria dizer.
7Então Jesus continuou:
"Em verdade, em verdade vos digo,
eu sou a porta das ovelhas.
8Todos aqueles que vieram antes de mim
são ladrões e assaltantes,
mas as ovelhas não os escutaram.
9Eu sou a porta. Quem entrar por mim, será salvo;
entrará e sairá e encontrará pastagem.
10O ladrão só vem para roubar, matar e destruir.
Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.
Palavra da Salvação.


Evangelho - Jo 10,11-18
O bom pastor dá a vida por suas ovelhas.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 10,11-18
Naquele tempo, disse Jesus:
11Eu sou o bom pastor.
O bom pastor dá a vida por suas ovelhas.
12O mercenário, que não é pastor
e não é dono das ovelhas,
vê o lobo chegar,
abandona as ovelhas e foge,
e o lobo as ataca e dispersa.
13Pois ele é apenas um mercenário
e não se importa com as ovelhas.
14Eu sou o bom pastor.
Conheço as minhas ovelhas,
e elas me conhecem,
15assim como o Pai me conhece
e eu conheço o Pai.
Eu dou minha vida pelas ovelhas.
16Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil:
também a elas devo conduzir,
escutarão a minha voz,
e haverá um só rebanho e um só pastor.
17É por isso que o Pai me ama,
porque dou a minha vida,
para depois recebê-la novamente.
18Ninguém tira a minha vida,
eu a dou por mim mesmo;
tenho poder de entregá-la
e tenho poder de recebê-la novamente;
esta é a ordem que recebi do meu Pai".
Palavra da Salvação.


Reflexão - Jo 10, 11-18
Deus afirmou, através do Profeta Jeremias, que ele daria ao seu povo pastores segundo o seu coração e, mais tarde, pela boca do Profeta Ezequiel, que ele mesmo seria o pastor do seu povo. O Evangelho de hoje nos mostra que Deus está cumprindo a sua promessa, pois o Filho, segunda Pessoa da Santíssima Trindade, é quem afirma: "Eu sou o bom pastor". É o próprio Deus que se coloca a serviço das pessoas com a finalidade de reuni-las num único rebanho. E hoje a Igreja, o Corpo Místico de Cristo, é a continuadora da obra do Pastor, de modo que nela o ser humano é convidado a participar da divina missão do pastoreio.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!


25 de abril de 2010

47º Dia Mundial de Oração pelas Vocações

O 47º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que será celebrado no 4º Domingo de Páscoa, dia 25 de abril, oferece-me a oportunidade de propor à vossa reflexão um tema que se enquadra bem com o Ano Sacerdotal: O testemunho suscita vocações. De fato, a fecundidade da proposta vocacional depende primariamente da ação gratuita de Deus, mas é favorecida também – como o confirma a experiência pastoral – pela qualidade e riqueza do testemunho pessoal e comunitário de todos aqueles que já responderam ao chamamento do Senhor no ministério sacerdotal e na vida consagrada, pois o seu testemunho pode suscitar noutras pessoas o desejo de, por sua vez, corresponder com generosidade ao apelo de Cristo. Assim, este tema apresenta-se intimamente ligado com a vida e a missão dos sacerdotes e dos consagrados. Por isso, desejo convidar todos aqueles que o Senhor chamou para trabalhar na sua vinha a renovarem a sua fidelidade de resposta, sobretudo neste Ano Sacerdotal que proclamei por ocasião dos 150 anos de falecimento de São João Maria Vianney, o Cura d’Ars, modelo sempre atual de presbítero e pároco.


Já no Antigo Testamento os profetas tinham consciência de que eram chamados a testemunhar com a sua vida aquilo que anunciavam, prontos a enfrentar mesmo a incompreensão, a rejeição, a perseguição. A tarefa, que Deus lhes confiara, envolvia-os completamente, como um «fogo ardente» no coração impossível de conter (cf. Jr 20,9), e, por isso, estavam prontos a entregar ao Senhor não só a voz, mas todos os elementos da sua vida. Na plenitude dos tempos, será Jesus, o enviado do Pai (cf. Jo 5,36), que, através da sua missão, testemunha o amor de Deus por todos os homens sem distinção, com especial atenção pelos últimos, os pecadores, os marginalizados, os pobres. Jesus é a suprema Testemunha de Deus e da sua ânsia de que todos se salvem. Na aurora dos novos tempos, João Baptista, com uma vida gasta inteiramente para preparar o caminho a Cristo, testemunha que, se cumprem, no Filho de Maria de Nazaré, as promessas de Deus. Quando O vê chegar ao rio Jordão, onde estava a batizar, João indica-O aos seus discípulos como «o cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo» (Jo 1,29). O seu testemunho é tão fecundo que dois dos seus discípulos, «ouvindo o que ele tinha dito, seguiram Jesus» (Jo 1,37).

Também a vocação de Pedro, conforme no-la descreve o evangelista João, passa pelo testemunho de seu irmão André; este, após ter encontrado o Mestre e aceite o seu convite para permanecer com Ele, logo sente necessidade de comunicar a Pedro aquilo que descobriu «permanecendo» junto do Senhor: «“Encontramos o Messias” (que quer dizer Cristo). E levou-o a Jesus» (Jo 1,41-42). O mesmo aconteceu com Natanael – Bartolomeu –, graças ao testemunho doutro discípulo, Filipe, que cheio de alegria lhe comunica a sua grande descoberta: «Acabamos de encontrar Aquele de quem escreveu Moisés na Lei e que os Profetas anunciaram: é Jesus, o filho de José, de Nazaré» (Jo 1,45). A iniciativa livre e gratuita de Deus cruza-se com a responsabilidade humana daqueles que acolhem o seu convite, e interpela-os para se tornarem, com o próprio testemunho, instrumentos do chamamento divino. O mesmo acontece, ainda hoje, na Igreja: Deus serve-se do testemunho de sacerdotes fiéis à sua missão, para suscitar novas vocações sacerdotais e religiosas para o serviço do seu Povo. Por esta razão, desejo destacar três aspectos da vida do presbítero, que considero essenciais para um testemunho sacerdotal eficaz.

Elemento fundamental e comprovado de toda a vocação ao sacerdócio e à vida consagrada é a amizade com Cristo. Jesus vivia em constante união com o Pai, e isto suscitava nos discípulos o desejo de viverem a mesma experiência, aprendendo d’Ele a comunhão e o diálogo incessante com Deus. Se o sacerdote é o «homem de Deus», que pertence a Deus e ajuda a conhecê-Lo e a amá-Lo, não pode deixar de cultivar uma profunda intimidade com Ele e permanecer no seu amor, reservando tempo para a escuta da sua Palavra. A oração é o primeiro testemunho que suscita vocações. Tal como o apóstolo André comunica ao irmão que conheceu o Mestre, assim também quem quiser ser discípulo e testemunha de Cristo deve tê-Lo «visto» pessoalmente, deve tê-Lo conhecido, deve ter aprendido a amá-Lo e a permanecer com Ele.

Outro aspecto da consagração sacerdotal e da vida religiosa é o dom total de si mesmo a Deus. Escreve o apóstolo João: «Nisto conhecemos o amor: Jesus deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos nossos irmãos» (1 Jo 3,16). Com estas palavras, os discípulos são convidados a entrar na mesma lógica de Jesus que, ao longo de toda a sua vida, cumpriu a vontade do Pai até à entrega suprema de Si mesmo na cruz. Manifesta-se aqui a misericórdia de Deus em toda a sua plenitude; amor misericordioso que derrotou as trevas do mal, do pecado e da morte. A figura de Jesus que, na Última Ceia, Se levanta da mesa, depõe o manto, pega numa toalha, ata-a à cintura e Se inclina a lavar os pés aos Apóstolos, exprime o sentido de serviço e doação que caracterizou toda a sua vida, por obediência à vontade do Pai (cf. Jo 13,3-15). No seguimento de Jesus, cada pessoa chamada a uma vida de especial consagração deve esforçar-se por testemunhar o dom total de si mesma a Deus. Daqui brota a capacidade para se dar depois àqueles que a Providência lhe confia no ministério pastoral, com dedicação plena, contínua e fiel, e com a alegria de fazer-se companheiro de viagem de muitos irmãos, a fim de que se abram ao encontro com Cristo e a sua Palavra se torne luz para o seu caminho. A história de cada vocação cruza-se quase sempre com o testemunho de um sacerdote que vive jubilosamente a doação de si mesmo aos irmãos por amor do Reino dos Céus. É que a presença e a palavra de um padre são capazes de despertar interrogações e de conduzir mesmo a decisões definitivas (cf. João Paulo II, Exort. ap. pós-sinodal Pastores dabo vobis, 39).

Um terceiro aspecto que, enfim, não pode deixar de caracterizar o sacerdote e a pessoa consagrada é viver a comunhão. Jesus indicou, como sinal distintivo de quem deseja ser seu discípulo, a profunda comunhão no amor: «É por isto que todos saberão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros» (Jo 13,35). De modo particular, o sacerdote deve ser um homem de comunhão, aberto a todos, capaz de fazer caminhar unido todo o rebanho que a bondade do Senhor lhe confiou, ajudando a superar divisões, sanar lacerações, aplanar contrastes e incompreensões, perdoar as ofensas. Em Julho de 2005, no encontro com o Clero de Aosta, afirmei que os jovens, se virem os sacerdotes isolados e tristes, com certeza não se sentirão encorajados a seguir o seu exemplo. Levados a considerar que tal possa ser o futuro de um padre, vêem aumentar a sua hesitação. Torna-se importante, pois, realizar a comunhão de vida, que lhes mostre a beleza de ser sacerdote. Então, o jovem dirá: «Isto pode ser um futuro também para mim, assim pode-se viver» (Insegnamenti, vol. I/2005, 354). O Concílio Vaticano II, referindo-se ao testemunho capaz de suscitar vocações, destaca o exemplo de caridade e de fraterna cooperação que devem oferecer os sacerdotes (cf. Decreto Optatam totius, 2).

Apraz-me recordar o que escreveu o meu venerado predecessor João Paulo II: «A própria vida dos padres, a sua dedicação incondicional ao rebanho de Deus, o seu testemunho de amoroso serviço ao Senhor e à sua Igreja – testemunho assinalado pela opção da cruz acolhida na esperança e na alegria pascal –, a sua concórdia fraterna e o seu zelo pela evangelização do mundo são o primeiro e mais persuasivo fato de fecundidade vocacional» (Pastores dabo vobis, 41). Poder-se-ia afirmar que as vocações sacerdotais nascem do contacto com os sacerdotes, como se fossem uma espécie de patrimônio precioso comunicado com a palavra, o exemplo e a existência inteira.

Isto aplica-se também à vida consagrada. A própria existência dos religiosos e religiosas fala do amor de Cristo, quando O seguem com plena fidelidade ao Evangelho e assumem com alegria os seus critérios de discernimento e conduta. Tornam-se «sinais de contradição» para o mundo, cuja lógica frequentemente é inspirada pelo materialismo, o egoísmo e o individualismo. A sua fidelidade e a força do seu testemunho, porque se deixam conquistar por Deus renunciando a si mesmos, continuam a suscitar no ânimo de muitos jovens o desejo de, por sua vez, seguirem Cristo para sempre, de modo generoso e total. Imitar Cristo casto, pobre e obediente e identificar-se com Ele: eis o ideal da vida consagrada, testemunho do primado absoluto de Deus na vida e na história dos homens.

Fiel à sua vocação, cada presbítero, cada consagrado e cada consagrada transmite a alegria de servir Cristo, e convida todos os cristãos a responderem à vocação universal à santidade. Assim, para se promoverem as vocações específicas ao ministério sacerdotal e à vida consagrada, para se tornar mais forte e incisivo o anúncio vocacional, é indispensável o exemplo daqueles que já disseram o próprio «sim» a Deus e ao projeto de vida que Ele tem para cada um. O testemunho pessoal, feito de opções existenciais e concretas, há de encorajar, por sua vez, os jovens a tomarem decisões empenhativas que envolvem o próprio futuro. Para ajudá-los, é necessária aquela arte do encontro e do diálogo capaz de os iluminar e acompanhar sobretudo através do exemplo de vida abraçada como vocação. Assim fez o Santo Cura d’Ars, que, no contacto permanente com os seus paroquianos, «ensinava sobretudo com o testemunho da vida. Pelo seu exemplo, os fiéis aprendiam a rezar» (Carta de Proclamação do Ano Sacerdotal, 16/06/2009).

Que este Dia Mundial possa oferecer, uma vez mais, preciosa ocasião para muitos jovens refletirem sobre a própria vocação, abrindo-se a ela com simplicidade, confiança e plena disponibilidade. A Virgem Maria, Mãe da Igreja, guarde o mais pequenino gérmen de vocação no coração daqueles que o Senhor chama a segui-Lo mais de perto; faça com que se torne uma árvore frondosa, carregada de frutos para o bem da Igreja e de toda a humanidade. Por esta intenção rezo, enquanto concedo a todos a Bênção Apostólica.

Papa Bento XVI

A Palavra de Deus na Vida - CNBB





Leituras Relacionadas ao dia 25/04/2010 - CNBB
Verde. 4º Domingo da Páscoa

1ª Leitura - At 13,14.43-52
Eis que nos voltamos para os pagãos.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 13,14.43-52

Naqueles dias, Paulo e Barnabé14partindo de Perge,chegaram a Antioquia da Pisidia.E, entrando na sinagoga em dia de sábado, sentaram-se.43Muitos judeus e pessoas piedosas convertidas aojudaísmo seguiram Paulo e Barnabé.Conversando com eles, os dois insistiampara que continuassem fiéis à graça de Deus.44No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniupara ouvir a palavra de Deus.45Ao verem aquela multidão,os judeus ficaram cheios de invejae, com blasfêmias, opunham-se ao que Paulo dizia.46Então, com muita coragem,Paulo e Barnabé declararam:"Era preciso anunciar a palavra de Deus primeiro a vós.Mas, como a rejeitaise vos considerais indignos da vida eterna,sabei que vamos dirigir-nos aos pagãos.47Porque esta é a ordem que o Senhor nos deu:"Eu te coloquei como luz para as nações,para que leves a salvaçãoaté os confins da terra"."48Os pagãos ficaram muito contentes,quando ouviram isso,e glorificavam a palavra do Senhor.Todos os que eram destinados à vida eterna,abraçaram a fé.49Desse modo, a palavra do Senhorespalhava-se por toda a região.50Mas os judeusinstigaram as mulheres ricas e religiosas,assim como os homens influentes da cidade,provocaram uma perseguição contra Paulo e Barnabée expulsaram-nos do seu território.51Então os apóstolos sacudiram contra elesa poeira dos pés, e foram para a cidade de Icônio.52Os discípulos, porém, ficaram cheios de alegriae do Espírito Santo.Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 99,2.3.5 (R. 3c)
R. O Senhor, só ele é Deus,
somos o seu povo e seu rebanho.

Ou: R.Aleluia, Aleluia, Aleluia

2Aclamai o Senhor, ó terra inteira,servi ao Senhor com alegria,*ide a ele cantando jubilosos!R.

3Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, Ele mesmo nos fez, e somos seus,*nós somos seu povo e seu rebanho.R.

5Sim, é bom o Senhor e nosso Deus,sua bondade perdura para sempre,*seu amor é fiel eternamente!R.




2ª Leitura - Ap 7,9.14b-17
O Cordeiro vai apascentá-los e os
conduzirá às fontes da água da vida.
Leitura do Livro do Apocalipse de São João 7,9.14b-17

Eu, João, 9vi uma multidão imensade gente de todas as nações, tribos, povos e línguas,e que ninguém podia contar.Estavam de pé diante do trono e do Cordeiro;trajavam vestes brancase traziam palmas na mão.14bEntão um dos anciãos me disse:"Esses são os que vieram da grande tribulação".Lavaram e alvejaram as suas roupasno sangue do Cordeiro.15Por isso, estão diante do trono de Deuse lhe prestam culto, dia e noite, no seu templo.E aquele que está sentado no tronoos abrigará na sua tenda.16Nunca mais terão fome, nem sede.Nem os molestará o sol, nem algum calor ardente.17Porque o Cordeiro, que está no meio do trono,será o seu pastore os conduzirá às fontes da água da vida.E Deus enxugará as lágrimas de seus olhos."Palavra do Senhor.


Evangelho - Jo 10,27-30
Eu dou a vida eterna para minhas ovelhas.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 10,27-30

Naquele tempo, disse Jesus:27As minhas ovelhas escutam a minha voz,eu as conheço e elas me seguem.28Eu dou-lhes a vida eternae elas jamais se perderão.E ninguém vai arrancá-las de minha mão.29Meu Pai, que me deu estas ovelhas,é maior que todos,e ninguém pode arrebatá-las da mão do Pai.30Eu e o Pai somos um."Palavra da Salvação.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!

24 de abril de 2010

A Palavra de Deus na Vida - CNBB





Leituras Relacionadas ao dia 24/04/2010 - CNBB
Branco. Sábado da 3ª Semana da Páscoa

1ª Leitura - At 9,31-42
A Igreja consolidava-se e
crescia em número com a ajuda do Espírito Santo.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 9,31-42
Naqueles dias:
31A Igreja, vivia em paz
em toda a Judéia, Galiléia e Samaria.
Ela consolidava-se e progredia no temor do Senhor
e crescia em número com a ajuda do Espírito Santo.
32Pedro percorria todos os lugares;
e visitou também os fiéis que moravam em Lida.
33Encontrou aí um homem chamado Enéias,
que estava paralítico
e, há oito anos, jazia numa cama.
34Pedro disse-lhe: "Enéias,
Jesus Cristo te cura!
Levanta-te e arruma a tua cama!"
Imediatamente Enéias se levantou.
35Todos os habitantes de Lida e da região do Saron
viram isso e se converteram ao Senhor.
36Em Jope, havia uma discípula chamada Tabita,
nome que quer dizer Gazela.
Eram muitas as boas obras que fazia e as esmolas que dava.
37Naqueles dias ela ficou doente e morreu.
Então lavaram seu corpo
e o colocaram no andar superior da casa.
38Como Lida ficava perto de Jope,
e ouvindo dizer que Pedro estava lá,
os discípulos mandaram dois homens com um recado:
"Vem depressa até nós!"
39Pedro partiu imediatamente com eles.
Assim que chegou,
levaram-no ao andar superior,
onde todas as viúvas foram ao seu encontro.
Chorando, elas mostravam a Pedro
as túnicas e mantos que Tabita havia feito,
quando vivia com elas.
40Pedro mandou que todos saíssem.
Em seguida, pôs-se de joelhos e rezou.
Depois, voltou-se para o corpo e disse:
"Tabita, levanta-te!"
ela então abriu os olhos, viu Pedro e sentou-se.
41Pedro deu-lhe a mão e ajudou-a a levantar-se.
Depois chamou os fiéis e as viúvas
e apresentou-lhes Tabita viva.
42O fato ficou conhecido em toda a cidade de Jope
e muitos acreditaram no Senhor.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 115, 12-13. 14-15. 16-17 (R. 12)
R. Que poderei retribuir ao Senhor Deus,
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

12Que poderei retribuir ao Senhor Deus*
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
13Elevo o cálice da minha salvação,*
invocando o nome santo do Senhor.R.

14Vou cumprir minhas promessas ao Senhor*
na presença de seu povo reunido.
15É sentida por demais pelo Senhor*
a morte de seus santos, seus amigos.R.

16Eis que sou o vosso servo, ó Senhor,
que nasceu de vossa serva;*
mas me quebrastes os grilhões da escravidóo!
17Por isso oferto um sacrifício de louvor,*
invocando o nome santo do Senhor.R.


Evangelho - Jo 6,60-69
A quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 6,60-69

Naquele tempo:
60muitos dos discípulos de Jesus
que o escutaram, disseram:
"Esta palavra é dura.
Quem consegue escutá-la?"
61Sabendo que seus discípulos estavam murmurando
por causa disso mesmo,
Jesus perguntou:
"Isto vos escandaliza?
62E quando virdes o Filho do Homem
subindo para onde estava antes?
63O Espírito é que dá vida,
a carne não adianta nada.
As palavras que vos falei são espírito e vida.
64Mas entre vós há alguns que não crêem".
Jesus sabia, desde o início,
quem eram os que não tinham fé
e quem havia de entregá-lo.
65E acrescentou:
"É por isso que vos disse:
ninguém pode vir a mim
a não ser que lhe seja concedido pelo Pai".
66A partir daquele momento,
muitos discípulos voltaram atrás
e não andavam mais com ele.
67Então, Jesus disse aos doze:
"Vós também vos quereis ir embora?"
68Simão Pedro respondeu:
"A quem iremos, Senhor?
Tu tens palavras de vida eterna.
69Nós cremos firmemente e reconhecemos
que tu és o Santo de Deus".
Palavra da Salvação.


Reflexão - Jo 6, 60-69
Muitas pessoas querem conhecer Jesus e ouvir tudo o que ele tem para dizer, mas não querem escutar tudo, mas sim apenas alguns pontos que lhes interessam para a satisfação dos seus desejos e necessidades. Quando essas pessoas ouvem tudo o que Jesus tem para dizer, se escandalizam, afastam-se dele e não querem mais segui-lo. De fato, é muito fácil dizer que Jesus tem palavras muito bonitas, mas nem sempre é fácil aceitar as exigências do Evangelho. Porém, não podemos nos esquecer que somente Jesus tem palavras de vida eterna, e que só consegue ouvir de fato as palavras de vida eterna quem crê firmemente que ele é o Santo de Deus e busca imitá-lo verdadeiramente na busca da santidade.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!


23 de abril de 2010

A Palavra de Deus na Vida - CNBB




Leituras Relacionadas ao dia 23/04/2010 - CNBB
Branco. 6ª-feira da 3ª Semana da Páscoa

1ª Leitura - At 9,1-20
Esse homem é o instrumento que escolhi
para anunciar o meu nome aos pagãos.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 9,1-20
Naqueles dias:
1Saulo só respirava ameaças e morte
contra os discípulos do Senhor.
Ele apresentou-se ao Sumo sacerdote
2e pediu-lhe cartas de recomendação
para as sinagogas de Damasco,
a fim de levar presos para Jerusalém
os homens e mulheres
que encontrasse seguindo o Caminho.
3Durante a viagem, quando já estava perto de Damasco,
Saulo, de repente,
viu-se cercado por uma luz que vinha do céu.
4Caindo por terra, ele ouviu uma voz que lhe dizia:
"Saulo, Saulo, por que me persegues?"
5Saulo perguntou: "Quem és tu, Senhor?"
A voz respondeu:
"Eu sou Jesus, a quem tu estás perseguindo.
6Agora, levanta-te, entra na cidade,
e ali te será dito o que deves fazer."
7Os homens que acompanhavam Saulo
ficaram mudos de espanto,
porque ouviam a voz, mas não viam ninguém.
8Saulo levantou-se do chão
e abriu os olhos, mas não conseguia ver nada.
Então pegaram nele pela mão e levaram-no para Damasco.
9Saulo ficou três dias sem poder ver.
E não comeu nem bebeu.
10Em Damasco, havia um discípulo chamado Ananias.
O Senhor o chamou numa visão: "Ananias!"
E Ananias respondeu: "Aqui estou, Senhor!"
11O Senhor lhe disse:
"Levanta-te, vai à rua que se chama Direita
e procura, na casa de Judas,
por um homem de Tarso chamado Saulo.
Ele está rezando."
12E, numa visão, Saulo contemplou
um homem chamado Ananias, entrando e impondo-lhe as mãos
para que recuperasse a vista.
13Ananias respondeu:
"Senhor, já ouvi muitos falarem desse homem
e do mal que fez aos teus fiéis
que estão em Jerusalém.
14E aqui em Damasco ele tem plenos poderes,
recebidos dos sumos sacerdotes,
para prender todos os que invocam o teu nome."
15Mas o Senhor disse a Ananias:
"Vai, porque esse homem é um instrumento que escolhi
para anunciar o meu nome aos pagãos,
aos reis e ao povo de Israel.
16Eu vou mostrar-lhe
quanto ele deve sofrer por minha causa."
17Então Ananias saiu, entrou na casa,
e impôs as mãos sobre Saulo, dizendo:
"Saulo, meu irmão, o Senhor Jesus,
que te apareceu quando vinhas no caminho,
ele me mandou aqui para que tu recuperes a vista
e fiques cheio do Espírito Santo."
18Imediatamente caíram dos olhos de Saulo como que escamas
e ele recuperou a vista.
Em seguida, Saulo levantou-se e foi batizado.
19Tendo tomado alimento, sentiu-se reconfortado.
Saulo passou alguns dias com os discípulos de Damasco,
20e logo começou a pregar nas sinagogas,
afirmando que Jesus é o Filho de Deus.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 116, 1. 2 (R. Mc 16,15)
R. Ide, por todo o mundo, e a todos pregai o Evangelho.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

1Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes,*
povos todos, festejai-o!R.

2Pois comprovado é seu amor para conosco,*
para sempre ele é fiel!R.


Evangelho - Jo 6,52-59
A minha carne é verdadeira comida
e o meu sangue, verdadeira bebida.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 6,52-59
Naquele tempo:
52Os judeus discutiam entre si, dizendo:
"Como é que ele pode dar a sua carne a comer?"
53Então Jesus disse:
"Em verdade, em verdade vos digo,
se não comerdes a carne do Filho do Homem
e não beberdes o seu sangue,
não tereis a vida em vós.
54Quem come a minha carne
e bebe o meu sangue
tem a vida eterna,
e eu o ressuscitarei no último dia.
55Porque a minha carne é verdadeira comida
e o meu sangue, verdadeira bebida.
56Quem come a minha carne
e bebe o meu sangue
permanece em mim e eu nele.
57Como o Pai, que vive, me enviou,
e eu vivo por causa do Pai,
assim o que me come
viverá por causa de mim.
58Este é o pão que desceu do céu.
Não é como aquele que os vossos pais comeram.
Eles morreram.
Aquele que come este pão viverá para sempre."
59Assim falou Jesus,
ensinando na sinagoga em Cafarnaum.
Palavra da Salvação.


Reflexão - Jo 6, 52-59
Como pode ele dar a sua carne a comer? Como entender que para ter a vida eterna e ressuscitar no último dia é preciso comer a verdadeira comida e beber a verdadeira bebida que são a carne e o sangue de Jesus? Essas verdades se constituem numa realidade absurda para os judeus. Por que? Porque eles não conheceram verdadeiramente quem é Jesus. No mundo de hoje, encontramos muitas pessoas que, como os judeus, não conhecem Jesus e vêem a eucaristia como uma realidade absurda. Precisamos agir como missionários para que essas pessoas conheçam Jesus, se alimentem da verdadeira comida e da verdadeira bebida e vivam para sempre.


LEIA MAIS ! CLICK AQUI!

22 de abril de 2010

A Palavra de Deus na Vida - CNBB



Leituras Relacionadas ao dia 22/04/2010 - CNBB
Branco. 5ª-feira da 3ª Semana da Páscoa

1ª Leitura - At 8,26-40
Aqui temos água. O que impede que eu seja batizado?
Leitura dos Atos dos Apóstolos 8,26-40
Naqueles dias:
26Um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo:
"Prepara-te e vai para o sul,
no caminho que desce de Jerusalém a Gaza.
O caminho é deserto".
Filipe levantou-se e foi.
27Nisso apareceu um eunuco etíope,
ministro de Candace, rainha da Etiópia
e administrador geral do seu tesouro,
que tinha ido em peregrinação a Jerusalém.
28Ele estava voltando para casa
e vinha sentado no seu carro, lendo o profeta Isaías.
29Então o Espírito disse a Filipe:
"Aproxima-te desse carro e acompanha-o".
30Filipe correu,
ouviu o eunuco ler o profeta Isaías e perguntou:
"Tu compreendes o que estás lendo?"
31O eunuco respondeu:
"Como posso, se ninguém mo explica?"
Então convidou Filipe a subir e a sentar-se junto a ele.
32A passagem da Escritura que o eunuco estava lendo
era esta: "Ele foi levado como ovelha ao matadouro;
e qual um cordeiro diante do seu tosquiador,
ele emudeceu e não abriu a boca.
33Eles o humilharam e lhe negaram justiça;
e seus descendentes, quem os poderá enumerar?
Pois sua vida foi arrancada da terra".
34E o eunuco disse a Filipe:
"Peço que me expliques
de quem o profeta está dizendo isso.
Ele fala de si mesmo ou se refere a algum outro?"
35Então Filipe começou a falar
e, partindo dessa passagem da Escritura,
anunciou Jesus ao eunuco.
36Eles prosseguiram o caminho
e chegaram a um lugar onde havia água.
Então o eunuco disse a Filipe:
"Aqui temos água. O que impede que eu seja batizado?"
38O eunuco mandou parar o carro.
Os dois desceram para a água
e Filipe batizou o eunuco.
39Quando saíram da água,
o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe.
O eunuco não o viu mais
e prosseguiu sua viagem, cheio de alegria.
40Filipe foi parar em Azoto.
E, passando adiante, evangelizava todas as cidades
até chegar a Cesaréia.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 65, 8-9. 16-17. 20 (R. 1)
R. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

8Nações, glorificai ao nosso Deus, *
anunciai em alta voz o seu louvor!
9É ele quem dá vida à nossa vida, *
e não permite que vacilem nossos pés. R.

16Todos vós que a Deus temeis, vinde escutar: *
vou contar-vos todo bem que ele me fez!
17Quando a ele o meu grito se elevou, *
já havia gratidão em minha boca!R.

20Bendito seja o Senhor Deus que me escutou, +
não rejeitou minha oração e meu clamor, *
nem afastou longe de mim o seu amor!R.


Evangelho - Jo 6,44-51
Eu sou o pão vivo descido do céu.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 6,44-51
Naquele tempo, disse Jesus à multidão :
44Ninguém pode vir a mim,
se o Pai que me enviou não o atrai.
E eu o ressuscitarei no último dia.
45Está escrito nos Profetas:
`Todos serão discípulos de Deus."
Ora, todo aquele que escutou o Pai e por ele foi instruído,
vem a mim.
46Não que alguém já tenha visto o Pai.
Só aquele que vem de junto de Deus viu o Pai.
47Em verdade, em verdade vos digo,
quem crê, possui a vida eterna.
48Eu sou o pão da vida.
49Os vossos pais comeram o maná no deserto
e, no entanto, morreram.
50Eis aqui o pão que desce do céu:
quem dele comer, nunca morrerá.
51Eu sou o pão vivo descido do céu.
Quem comer deste pão viverá eternamente.
E o pão que eu darei
é a minha carne dada para a vida do mundo".
Palavra da Salvação.


Reflexão - Jo 6, 44-51
Um dos elementos fundamentais na fé católica é o primado da graça. Se Deus não age, nós não podemos agir, nos tornamos incapazes de fazer o bem. Para nós, o bem maior é conhecer Jesus, sermos capazes de ir até ele, mas isso só é possível pela atuação da graça. Mas, se por um lado, a graça é necessária para chegarmos até Jesus, por outro lado, Deus respeita a nossa liberdade, de modo que associada à graça divina, deve estar a nossa procura de Cristo. De nada adianta a graça nos mostrar que Jesus é o Pão da vida descido do céu para ser alimento de vida eterna a todos nós, se nós não queremos vê-lo.


LEIA MAIS! CLICK AQUI!

Seguidores

Google+ Followers

Viva Nossa Senhora!

Wikipedia

Resultados da pesquisa

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Follow by Email