ZENIT - O mundo visto de Roma

Fides News Português

Gaudiumpress Feed

15 de março de 2008

Bendito aquele que vem em nome do Senhor

Neste mês dois grandes momentos de espiritualidade a Igreja estará experimentando: a quaresma e a páscoa. A quaresma nos prepara espiritualmente para celebrar o mistério pascal. Um depende do outro. Na quarta-feira de cinzas iniciamos o nosso itinerário quaresmal e agora, no final deste mês desfrutaremos da espiritualidade do tempo pascal.

Jesus, ao entrar em Jerusalém, foi aclamado pelo povo que dizia: “Hosana ao Filho de Davi! Bendito aquele que vem em nome do Senhor. Hosana ao Altíssimo!” (Mt 21,9). Jesus entrou na cidade mais importante da Palestina: Jerusalém, que era o centro do poder civil e religioso e onde todo o povo se dirigia para celebrar a Páscoa.

Na semana santa somos convidados a interiorizar a espiritualidade e perceber todo o itinerário de Jesus, desde a sua entrada na cidade santa até o caminho do Calvário e culmina com a sua morte na cruz. Neste itinerário Jesus realiza a vontade do Pai (Lc 22,42). Nesta semana, também se conclui o período da quaresma. Portanto, o itinerário quaresmal se iniciou com a quarta-feira de cinzas e conclui-se com a quarta-feira santa. Contudo, nesta semana santa vários temas nos acompanharão até a páscoa da ressurreição:

1. A característica do Servo de Javé (cf. Is 42,1-9; 49,1-9; 50,4-11; 52,13-53,12). Durante esta semana teremos a oportunidade de identificar quem é este Servo. “Poderá ser uma pessoa; mas alguns identificam de forma coletiva, sendo aplicada ao povo fiel. Mas o Servo é a grande novidade que o Senhor Javé preparou: um povo escolhido e missionário que, graças ao Espírito de Javé, recebe a missão de fazer surgir “um novo céu e uma nova terra” (Ap 21,1).

2. Outra é a característica da Cruz. “quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim” (Mt 10,38). A cruz pode ser um símbolo da derrota e do fracasso. De fato, no momento em que Jesus passava deste mundo ao mundo do Pai Ele disse: “’Tudo está consumado’ e, inclinando, entregou o seu espírito”. (Jo 19,30). Jesus ficou só. Os discípulos se dispersaram. Ao pé da cruz estavam apenas o Discípulo amado, Maria, sua mãe e algumas mulheres (Jo 19,25-26). Porém a cruz poderia ser um sinônimo de luz. Cruz significa a vitória, confiança, vida nova, luz que vence as trevas da morte... Assim sendo Jesus foi o grande vencedor da morte, que passou pela dor da cruz e ressurgiu.

3. Ainda poderemos ver, nesta semana, a pessoa de Jesus. Ele assumiu a nossa natureza humana, menos o pecado. Pregou o Evangelho do Reino. Curou muitas pessoas. Fez a vontade do Pai, passou por este mundo fazendo o bem. São Paulo dirá: “humilhou-se a si mesmo tornando-se obediente até a morte e morte de cruz... ao nome de Jesus se dobre todo joelho... e toda língua proclame que Jesus Cristo é o Senhor” (Fl 2, 8.10-11).

Sabemos que meditar a Semana Santa é aprofundar o mistério da vida de Cristo que morreu para nos salvar. Que em nossos corações possamos acolhê-Lo com fé, esperança e amor, correspondendo com uma vida santa, e expressar com toda a nossa alegria “bendito aquele que vem em nome do Senhor, Hosana ao Filho de Davi” (Mt 21,9).
Feliz Páscoa a todos!

Fr. João Carlos