ZENIT - O mundo visto de Roma

Fides News Português

Gaudiumpress Feed

9 de dezembro de 2007

2° Domingo do Advento

Estamos caminhando e preparando para celebrar o nascimento de Jesus. Na semana passada, no primeiro domingo, do Advento a liturgia nos convidava sobre o tema da esperança e da vigilância. Na liturgia deste segundo domingo, do Advento o convite é sobre a conversão e a preparação para o caminho do Senhor.
Esta preparação já vinha desde os tempos préticos. O Povo de Israel esperava a chegada do Messias, o Salvador. O profeta Isaias já preparava o povo para a chegada de “um Libertador”. Ele seria um enviado de Javé e teria a missão de construir um Reino de Justiça e Paz (Is 11,1-10). Contudo, uma das maiores profecias do Antigo Testamento referentes ao Messias era que o profeta reavivaria a esperança do seu povo, diante das ameaças do imperialismo dos assírios. Assim, surgem as características do messianismo profético:
· Será descendente de DAVI: "Naqueles dias, do tronco de Jessé sairá um ramo e um broto de sua raiz"
(Is 11,1). > Jessé é Pai de Davi.

· - Será cheio do ESPÍRITO do Senhor: Sobre ele pousará o Espírito do Senhor: Espírito de sabedoria e
inteligência, de conselho e de fortaleza, de conhecimento e de temor de Deus,(de piedade). (Is 11,3) Neste
versículo encontramos a origem dos 7 dons do Espírito Santo.
· - Será portador da JUSTIÇA e da PAZ: "Trará justiça para os humildes e uma ordem justa para os homens pacíficos” (Is 11,4). Haverá a reconciliação da Criação: voltará a harmonia perdida entre o homem e a natureza, entre os animais selvagens e domésticos....
O Sonho profético se realiza em Jesus como "messias-salvador". Ele iniciou esse "Reino" novo de justiça, de harmonia, de paz, de fraternidade, de perdão, e uma nova maneira de pensar e conceber o “Pai”. Por isso, cheio do Espírito de Deus, ele passou pelo mundo convidando os homens a se tornarem "filhos de Deus" e a viverem no amor e na partilha. Mas o sonho profético,ainda está longe de sua completa realização.
Neste sentido, após séculos de caminho do Povo de Deus, aparece no deserto a pessoa de João Batista, preparando os homens do seu tempo para acolher Jesus Salvador (Mt 3,1-12). Ele possui uma personalidade enigmática, forte, decisiva, profética, provocadora... Eis alguns elementos de sua vida e de sua personalidade:
- Personalidade: É uma figura impressionante, que fascina o povo; tem um estilo de vida austera: no vestir, no comer, no falar, no morar... Vive no "DESERTO", lugar das privações, do despojamento, das tentações, das purificações... mas também lugar tradicional dos encontros entre Deus e Israel.
- Mensagem: é um Apelo à CONVERSÃO. "Convertei-vos, porque o Reino dos céus está próximo..." (Mt 3,2). Conversão é um dom de Deus; é um processo de vida... é uma nova maneira de pensar, de se aproximar de Jesus e dos irmãos... é mudar radicalmente o “esquema mental” e se abrir à novidade do Espírito de Deus. Portanto, surge um outro convite do Profeta: "Preparai o caminho do Senhor: endireitai as veredas para Ele" (Mt 3,3). Contudo, não é possível acolher "Aquele que vem", se o nosso coração estiver cheio de egoísmo, de orgulho, de auto-suficiência, de preocupação com os bens materiais. Se quisermos celebrar a vinda do Senhor e participar do seu Reino, devemos preparar o caminho, mudar o nosso coração. Nesse itinerário, não há espaço para a hipocrisia. Não bastam as aparências, apenas dizer que “somos cristãos porque recebemos o batismo”. A Conversão deve ser comprovada pela ação.
- O Batismo de João: consistia na imersão na água do rio Jordão para as pessoas que aderiam a esse apelo de conversão. Significava o arrependimento, o perdão dos pecados e a agregação ao povo fiel. Mas ele avisa que aquele que vem depois dele "batizará no Espírito Santo e no fogo..." (Mt 3,11). Portanto, o Batismo de Jesus vai muito além do batismo de João: confere a quem o recebe, a vida de Deus e torna-o filho de Deus; incorpora-o à Igreja e torna-o participante da missão da Igreja no mundo. Assim, todo batizado se converte em Discípulo e Missionário de Cristo, e participante de sua missão sacerdotal, tornando-se sacerdotes, profetas e reis. É um quadro de vida completamente novo, uma relação de filiação com Deus e de fraternidade com Jesus e com todos os outros batizados. É um Sacramento e uma vida nova em Cristo Jesus.
- Frente ao anúncio profético de João Batista, perceberemos algumas reações:
> do Povo em geral: reconhece seus erros e pede o Batismo...
> dos Fariseus e Saduceus: vão ao encontro de João por curiosidade apenas... e são desmascarados: "Raça de cobras venenosas”(Mt 3,7). São convidados a “produzir frutos que provém da conversão” (Mt 3,8). Uns dos frutos seriam “em vez de dividir as pessoas em boas e más, consideremos cada pessoa tanto na sua bondade a ser cultivada quanto na sua maldade a ser eliminada”.
O itinerário iniciado no domingo passado para preparar o nascimento de Jesus nos convida à conversão. Converter-se, nessa celebração, significa ser autêntico, ser sincero na prática religiosa. Deixar de lado o fingimento e, na sinceridade produzir frutos de quem tem o Espírito de Deus no coração. O alerta para ser sincero vale para todos. É preciso ter cuidado de não transformar a prática da religião e a fé em fingimento, em teatro. Com coragem, e na sinceridade, portanto, caminhemos ao encontro do Senhor que vem, fazendo com que nossa prática religiosa seja frutuosa para o bem de todos.
(enviado por Fr. João)