ZENIT - O mundo visto de Roma

Fides News Português

Gaudiumpress Feed

23 de outubro de 2007

"O meu Senhor chegou com toda glória. Vivo Ele está. Está! Bem junto a nós seu corpo santo a nos tocar. Vivo Ele está. Está!"

A Segunda Vinda de Jesus

"Eu digo sempre que essa música é profética. Na primeira parte ela diz: 'Como são belos os pés do mensageiro que anuncia a paz, como são belos os pés do mensageiro que anuncia o Senhor!' E na segunda parte ela já diz do Senhor que veio, porque um dia nós estaremos proclamando assim e não vai demorar muito. Eu até falo o que foi o Evangelho de uns dias atrás que dizia que 'muito profetas desejaram ver o que estais vendo e não viram'. Graças a Deus nós estamos vendo.

Veja só a multidão de gente aqui numa quinta feira. O Senhor já suscitou uma fome e uma sede da palavra de Deus e agora é o tempo de nos saciarmos mesmo da Palavra de Deus, de tomarmos um banho da oração. Nós precisamos tomar um banho, um mergulho na adoração a Jesus no Santíssimo Sacramento, amar Maria, amar a Igreja e mergulhar fundo na doutrina do Senhor. Ele suscitou a fome porque vai chegar um tempo em que haverá fome (e não está longe) em que se procurará a Palavra de Deus e não se encontrará.
Há alguns que não se incomodam com isso. Talvez haja gente que pouco se incomoda com isso dentro da sua casa. Haverá muita gente que pouco se incomoda hoje e depois vai querer, mas será tarde.

É preciso agora não apenas receber mas guardar em celeiro. Depois de anunciar os últimos tempos, Jesus, no evangelho de Mateus, capítulo 24, que é todo a respeito da vinda do Senhor conta três parábolas.
Já a primeira parábola fala das dez virgens. Naquele tempo, nos casamentos, o noivo vinha buscar a noiva e muitas noivas aguardavam esse momento. Dez esperavam, mas o esposo acabou tardando e algumas se desanimaram.
Os próprios apóstolos pensavam que Jesus já vinha naquela época. Isso foi bom! Imagine: naquele tempo, eles tiveram que evangelizar os pagãos. Os próprios judeus os impediam. Paulo foi preso, açoitado, ficou semi-morto. Os pagãos estavam acostumados com os ídolos e com uma vida devassa. Os primeiros apóstolos levaram a conversão. Os que se convertiam não faziam sincretismo. Tiveram que deixar tantas coisas erradas... Tornaram-se homens e mulheres santos. Houve uma tremenda perseguição contra os cristãos.

Os primeiros cristãos não se enganaram. Eles acertaram. O Senhor queria que cada geração que passasse sobre a face da Terra vivesse como se ele viesse naquela geração. O Senhor quer que nós vivamos cada dia como se o Senhor viesse hoje. Isso nos dá ardor, faz-nos valentes, apostólicos, como os primeiros cristãos (Pedro foi colocar a sede da Igreja lá nas 'barbas do imperador') que eram destemidos, porque esperavam o Senhor na glória.

É o que cantamos: 'Que santidade de vida! Que homens devemos ser, pois se tudo no céu e na Terra o Senhor chamará? Que respeito para com Deus? Que luta devemos travar? No novo céu e na nova terra iremos morar. Somos, Senhor, tua Igreja que aguarda e apressa tua vinda gloriosa. Que o Senhor nos encontre em paz: puros e santos. Que é feito da sua promessa? Perguntam e zombam de Deus. Mas o Senhor virá e Ele não tardará! Que eu seja santo, santo, santo, pois Deus é Santo, Santo, Santo. Que a santidade da minha vida apresse o Senhor e Ele logo virá!'

Quando nós esperamos a vinda do Senhor, que é iminente, nós partimos para a santidade. No meio do paganismo os primeiros cristãos viviam uma vida santidade.

A nossa santidade apressa a vinda do Senhor e é preciso que isso aconteça. A nossa geração tem sido uma geração depravada e maliciosa como a dos primeiros cristãos. Só que os cristãos evangelizaram-na. Em Corinto, por exemplo, havia muita prostituição, muita orgia. Paulo foi para lá com medo, com receio, mas despojou-se totalmente. Ele só fez uma coisa pregar 'Cristo e Cristo crucificado'. Mas o próprio Paulo diz que não pregou com persuasão humana mas no Espírito, com os dons do Espírito. Paulo vai escrever aos coríntios que se converteram as duas maiores cartas do novo testamento e disse-lhes que não vos faltava dom nenhum, porque pregou com a força do Espírito Santo.

O Senhor precisa que tenhamos a mesma convicção. Os tempos são maus e é urgente que nos unamos a nosso Senhor Jesus Cristo e O viva antes que seja tarde. Nós precisamos ser coerentes com o Senhor. Nós não podemos ser cristãos e viver do jeito do mundo, porque a trama contra o Cristianismo já vai adiantada.
Se fez essa trama intelectualmente, por meio de livros, palestras, convenções... Hoje já é também uma questão política para se estabelecer na face da terra um governo único. Pe Michel Xuam fez um trabalho interessante. O Pe. Michel, mandado pela Igreja para estudar a conspiração contra as famílias, nascimentos, abortos nas organizações internacionais, acabou achando muita coisa mais e diz, de maneira católica, que existe uma trama, conspiração para termos um governo único.

Ele mesmo mostra que é tudo o que a Bíblia diz a respeito do anti-cristo. O Senhor nos diz que está no controle de tudo, que há uma briga para destroná-Lo, mas Ele é o Senhor: 'Não se assustem, mas estejam atentos, deixem essa vida leviana, fortaleçam-se na fé enquanto é tempo'.
O catecismo nos mostra que a Igreja vai passar pelos mesmos passos de Jesus (será traída, passará pela morte, teremos a impressão dela ter morrido, mas virá a ressurreição), nos diz para não nos escandalizarmos com isso e fala do anticristo, do governo mundial. Passar aquilo que Jesus passou não vai ser fácil. O próprio Senhor já nos havia dito e u digo: 'Agüenta firme Igreja! Agüenta firme, povo Deus! Será um tempo rápido e não precisamos temer. Mas vamos sofrer.

Jesus só passou por isso quando chegou a sua hora e vai chegar a hora da Igreja. Nós somos a bem aventurada geração que vai ver Jesus em glória, mas vamos passar pela cruz como Jesus.
Lemos em 1 Tes 2,7-8: 'Pois o mistério da iniqüidade já está em ação. Basta que o obstáculo atual seja afastado.
Então, ele se revelará, o Iníquo, que o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda.'
Não precisamos ter medo. Vai ser fácil para Jesus destruí-lo com seu império. Passaremos pela morte ressuscitaremos. Daí sim, nós santos,sem perigo de pecar, veremos céus novos e terra nova. Para uma humanidade nova é preciso povo novo.

Falei tudo isso, mas eles estão preparando também, uma igreja universal e única onde vão reunir coisas de todas as outras religiões e vão fazer a chamada nova religião, única e obrigatória. Já começaram a se reunir no ano 2000, convocados por organizações mundiais, tramando a tal religião nova, onde já se está dizendo que nenhuma outra religião poderá pregar a sua doutrina, fazer proselitismo. Seremos proibidos de viver a nossa fé. A palavra e o catecismo diz que a primeira coisa que retirarão é a eucaristia. Vão proibir a adoração ao Santíssimo Sacramento mas, assim como os primeiros cristãos celebravam às escondidas, também nós assim faremos.
Os bandidos estão se unindo e dizendo que para tempos novos é preciso uma mentalidade nova e as nossas crianças é que vão vive esse tempo novo, tendo, então que ter plena liberdade de fazer o próprio caminho e não seguir as idéias de seus pais, nem as idéias religiosas. Os pais vão ser proibidos de passar as suas idéias religiosas para as crianças, os professores não poderão passar as idéias antigas de religião e as crianças terão o direito de acusar os pais, os educadores, se tentarem passar idéias antigas.

Agora é a hora de nos ligarmos ao nosso Senhor Jesus Cristo, amar a Igreja, amar Maria. Ensinemos às nossas crianças as coisas santas, em vez de as deixarmos vendo coisas horríveis na televisão. Elas são dóceis, são prontinhas.
Deixemos de ser tolos, 'trouxas'. Viva a sua fé, use os dons, faça de tudo para levar o Evangelho aos outros e acredite que Deus cuidará dos da sua família."

Pe. Jonas Abib
18/07/2002