ZENIT - O mundo visto de Roma

Fides News Português

Gaudiumpress Feed

16 de outubro de 2007

"O Grande Sinal"

Nunca aconteceu um derramamento tão grande do Espírito Santo como o que estamos presenciando hoje.
Em pentecostes houve o grande derramamento, isso é indiscutível. Mas hoje o Senhor está derramando o seu Espírito em toda a face da terra. Não há uma nação, um país ou um lugar sequer deste mundo, nos vários continentes, em que Ele não esteja sendo derramado. Pessoas de todas as raças, línguas, idades, estão recebendo essa graça. São adultos, velhinhos, jovens, crianças... São ricos e podres, sábios e ignorantes, bons e também os maus.
Deus está buscando os desviados, os corruptos, os viciados em droga, em bebida alcoólica, os pais irresponsáveis, os maridos infiéis, os adúlteros e todos aqueles que se perderam pelo caminho, e sobre eles têm derramado o Espírito Santo e os transformado:
"Com efeito, o filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido" (Lc 19,10).
Estamos vivendo aquela parábola: o pai dá uma festa de casamento para seu filho e manda chamar os convidados, mas estes dão desculpas e não vão. Então, muito entristecido, manda seus servos irem pelas estradas, ruas, encruzilhadas e chamar a todos, sem exceção, e diz:
"Chamem os coxos , os cegos, os mancos, os podres, os esfarrapados, os doentes...chamem a todos, sem exceção". E até disse: "Chamem a todos, bons e maus"( cf. Lc 14,21-23; Mt 22,8-10).
Isso nos causa espanto, pois mandou chamar bons e maus. E os servos assim fizeram. Vendo que ainda havia lugar, o senhor ainda fizeram. Vendo que ainda havia lugar , o senhor ainda mandou seus servos uma segunda vez, e inclusive disse: "Obriguem a entrar" . Nós entendemos essa expressão, obriguem, como "forcem a entrar": os servos foram e insistiram tanto, que todos acabaram entrando na sala do banquete.
É isso que Deus está fazendo, hoje, conosco. Nós não somos os primeiros convidados, pelo contrário, fomos tirados da sarjeta, da rua. Fomos buscados pelo Senhor até mesmo nas latas do lixo deste mundo. O senhor nos buscou, retirou, purificou, nos deu vestes novas, derramou sobre nós o espírito Santo. Se hoje seguimos por Seu caminho, precisamos nos alegrar.
Essa graça, assim como os ensinamentos do Senhor, a sua palavra, as revelações particulares, especialmente as de Nossa Senhora, têm mostrado que o Senhor está próximo. Ele virá agora, em nossos tempos, no meio da noite, e haverá de intervir na face da terra para lavar, limpar e instaurar seu Reino aqui, inaugurando céus novos e uma terra nova, um povo, uma nova civilização .
Não tenho dúvida de que a parábola das virgens não fala simplesmente de vigilância, mas também do derramamento do Espírito Santo. Todos precisam tê-lo, e em abundância. Não basta ser cristão comum... É preciso estar repleto do Espírito Santo, encharcar-se n´Ele , e tê-lo também de reserva . Porque o dia em que o Senhor virá está próximo.
A respeito de vigilância, o Senhor fala:
"Mas este dia e esta hora, ninguém os conhece, nem os anjos do céu, nem o filho, ninguém senão o Pai, e só ele" ( Mt 23,36).
Se não sabemos o dia em que o Senhor virá - e não há como, porque nem mesmo Jesus ou os anjos o sabem - , temos de vigiar. A esse respeito, o Senhor diz:
"Tal como os dias de Noé, assim será a vinda do filho da homem; pois assim como, naqueles dias antes do dilúvio, comia- se e bebia- se, casava-se e dava- se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e de nada se suspeitava até que veio o dilúvio que os levou a todos, tal será a vinda do filho do homem. Então, dois homens estarão no campo: um será tomado. O outro será deixado; duas mulheres a moer na mó: uma será tomada, a outra será deixada. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia em que vosso Senhor virá. Vós bem sabeis: se o dono da casa soubesse em que momento da noite ia chegar o ladrão, vigiaria e não deixaria arrombar a parede de sua casa. Eis por que, também vós, estai preparados, pois numa hora que não pensais é que vem o filho do Homem"( Mt 24,37-44).
Infelizmente, muitos cristãos, muitas pessoas da igreja serão surpreendidas pela vinda do filho do homem. Digo sem receio: somos poucos pregando sobre a sua vinda, e temos pregado muito pouco. Se pregamos mais é porque, infelizmente, os outros não o estão fazendo. Muitos cristãos vão ser surpreendidos como aconteceu no tempo de Noé. Infelizmente!
Essa não é a vontade da Senhor. Ele gostaria que todos estivessem preparados, prontos. Que tivessem não somente suas lamparinas cheias de óleo de reserva.
Ainda há muito trabalho e muito anúncio por se fazer, porque o dia da Senhor está se aproximando. Ele está mais próximo, hoje, que no mês passado. O Senhor está muito mais perto, neste momento, do que há um ano. E o tempo está voando.
Preste atenção neste versículos:

"Vigiai, pois, porque não sabeis o dia em que vosso Senhor virá. Vós bem sabeis: se o dono da casa soubesse em que momento da noite ia chegar o ladrão, vigiaria e não deixaria arrombar a parede de sua casa. Eis por que, também vós, estai preparados, pois numa hora que não pensais é que vem o Filho da Homem. Qual é, pois, o servo fiel e prudente que o senhor constitui sobre a criadagem de sua casa para lhes dar o alimento no tempo oportuno? Feliz desse desse servo , que o seu senhor, ao chegar, encontrar ocupado em tal serviço" (Mt 24,42-46).
O Senhor, nessa passagem, fala bem claro da necessidade de vigilância, ao se referir ao servo fiel. Mas, a partir do capítulo 25, passa a ressaltar a necessidade de sermos como as virgens prudentes. É necessário que, quando o Senhor vier, sejamos encontrados cheios do Espírito Santo para entrar em seu Reino. Os outros, infelizmente, vão sair correndo e tentar, mas já será tarde.
Algo nos intriga nessa parábola: as virgens prudentes foram cruéis, não demonstraram amor por suas companheiras. As coitadas não tinham óleo, e aquelas poderiam ter dado um pouquinho do seu a elas... Mas foi o próprio Jesus quem contou desse jeito. Isso significa que quando o esposo chegar e for dado o grito: "o esposo chegou! Venham, acendam as lâmpadas, entremos com Ele!", não vai mais dar tempo. Quem tiver, muito bem! Para os outros, o tempo já terá passado.
O momento de receber a graça de derramamento do Espírito é agora. E isso vale para todos! Por um lado, precisamos estar cheios do Espírito Santo, por outro precisamos levá-lo aos outros - outro motivo por que devemos ter uma "reserva de óleo".

Pe Jonas Abib (Comunidade Canção Nova)

Do Livro: Céus Novos e uma Terra Nova