ZENIT - O mundo visto de Roma

Fides News Português

Gaudiumpress Feed

2 de setembro de 2007

Consagrar o sábado a Maria

Humbertus de Romanis, mestre geral dos monges pregadores (dominicanos), nos apresenta mais três motivos para se consagrar o sábado à Virgem Maria:

5 - Assim como o sábado é o dia que se situa entre a sexta-feira dolorosa - da Paixão de Nosso Senhor - e o domingo ditoso da Sua Ressurreição, não sendo possível passar da tristeza à glória sem esta travessia, Maria está, igualmente, situada entre nós, viventes, na Terra do exílio, e Cristo glorioso já está no Céu. Existe, então, uma consciência da função medianeira de Maria. Humbertus diz: “nec de poenis hujus mundi ad gaudia coeli potest aliquis transige, nisi per ipsam Mediatricem mundi.”.

6 - No sábado, como Jesus jazia no sepulcro e os Apóstolos, incrédulos e desencorajados, estavam escondidos "por medo dos Judeus" (Jo 20, 19), a fé da Igreja se concentrou, inteiramente, em Maria; então, a cada sábado, lembramo-nos da Virgem que, confiante, acredita e espera a Ressurreição do Filho;

7 - A Mãe de Jesus também demonstrou sua preferência pelo sábado, na Igreja de Blacherne, em Constantinopla. A cada sexta-feira, à noite, sem a intervenção de qualquer mão humana, o véu que cobre o Ícone da Theotokos (Mãe de Deus), aparece suspenso no ar, mostrando-se aos fiéis até a sétima hora do sábado, quando, sem qualquer intervenção humana, ele novamente se cobre e retorna ao local habitual. Mesmo estando o Ocidente separado do Oriente, Humbertus evoca este milagre.


Ignazio CALABUIG, Il culto di Maria in occidente (O culto de Maria no Ocidente) In Pontificio Istituto Liturgico sant’Anselmo. Scientia Liturgica, sob a direção de A.J. CHUPUNGCO, volume V, Piemme 1998. Página 342