ZENIT - O mundo visto de Roma

Fides News Português

Gaudiumpress Feed

11 de julho de 2007

Para refletir

Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e quando passavam por uma ponte viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pelas margens do rio e entrou na água. Pegou o escorpião em suas mãos e quando o trazia para fora da água, o animal o picou. Por causa da dor, o bom homem o deixou cair novamente no rio. Então o monge foi novamente até a margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou da correnteza.
Os discípulos haviam assistido a cena e o receberam penalizados:
-"Mestre, o escorpião o picou! Deve está doendo muito! Por que foi salvar este bicho tão ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu a sua ajuda! Picou a mão que o salvara! Não merecia sua compaixão!"
O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu:
-"ELE APENAS AGIU CONFORME A NATUREZA DELE E EU CONFORME A MINHA".

Só oferecemos aquilo que temos, jamais poderíamos oferecer o que não é nosso. Também não temos o direito de querer mudar os outros, mas com certeza, podemos dar o que de melhor temos e podemos também, aprender a apreciar aquilo que o outro tem de melhor.

(Mensagem enviada por um colaborador anônimo do blog)